Giro

Mandetta diz que não haverá vacina para todos e será preciso planejamento

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

O ex-ministro da Saúde defendeu que se vacine os grupos prioritários e que o Brasil precisa apostar em toda e qualquer vacina disponíve (Crédito: Arquivo/Agência Brasil)

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta defendeu que se vacine os grupos prioritários e que o Brasil precisa apostar em toda e qualquer vacina disponível, em entrevista à GloboNews. “Não vai ter (vacina) para todo mundo, nós vamos atravessar 2021 inteiro lutando com isso”, disse.

+ Pazuello diz que nenhum brasileiro nem Estado terá vantagem na vacinação contra a covid
+ Sem plano completo ou vacina aprovada, Pazuello fala em imunizar em dezembro

“Estamos perdendo médico e enfermeiro, pelo menos vacine esse pessoal que vai poder cuidar. (…) Se não tem para todo mundo, vacine acima de 80, depois entre 70 e 80. Vacine as capitais, os grandes conglomerados. Agora, pegar um plano apresentando um recorta e cola da vacina da gripe?”, afirmou.

Mandetta ainda cobrou planejamento, afirmou que se for no improviso vai atravessar 2021 apagando incêndio recebendo pequenos lotes. Por isso reafirmou a importância da prevenção. “Prevenção mais do que nunca agora, porque esse vírus vai continuar circulando. Ali na frente, se a gente entrar em abril e maio com o vírus circulando, que é a sazonalidade, aí nos vamos ter a segunda onda.”



Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel