Giro

Mais restos humanos encontrados no Lago Mead, nos Estados Unidos

Crédito: Reprodução/Divulgação

Foi o segundo conjunto de restos humanos encontrados no Lago Mead, o maior reservatório do país, à medida que os níveis de água descem. (Crédito: Reprodução/Divulgação)



Mais restos humanos foram encontrados no Lago Mead, no estado de Nevada, nos Estados Unidos, no fim de semana, menos de uma semana depois que um corpo em um barril foi descoberto no reservatório.

Guardas florestais do Serviço Nacional de Parques responderam a uma ligação na tarde de sábado que relatou os restos mortais em Callville Bay. O legista do condado de Clark está ajudando a determinar a causa da morte.

+ Pior seca em décadas afeta a vida dos nômades da Etiópia

Foi o segundo conjunto de restos humanos encontrados no Lago Mead, o maior reservatório do país, à medida que os níveis de água descem.



O primeiro corpo, descoberto em 1º de maio, provavelmente era de uma vítima de assassinato que morreu de um ferimento de bala “em algum momento entre meados dos anos 70 e início dos anos 80, com base nas roupas e calçados com os quais a vítima foi encontrada”, de acordo com um novo comunicado divulgado pela Polícia Metropolitana de Las Vegas.

“O lago drenou dramaticamente nos últimos 15 anos”, disse o tenente de homicídios da polícia metropolitana de Las Vegas, Ray Spencer, na época, observando que “é provável que encontremos outros corpos que foram despejados no lago Mead” à medida que o nível da água cai mais.

Cerca de 40 milhões de pessoas no oeste dependem da água do rio Colorado e de seus dois maiores reservatórios – Lake Mead e Lake Power – onde os níveis caíram a um ritmo alarmante nos últimos anos, em meio a uma megaseca provocada pelas mudanças climáticas .


Na segunda-feira, o nível da água do Lago Mead estava cerca de 320 metros acima do nível do mar – cerca de 50 metros abaixo do nível de 2000, quando foi considerado cheio pela última vez. É o nível mais baixo já registrado para o reservatório desde que foi preenchido na década de 1930.

O baixo nível de água do lago expôs uma das válvulas originais de entrada de água do reservatório em abril pela primeira vez. A válvula estava em serviço desde 1971, mas não pode mais extrair água, de acordo com a Southern Nevada Water Authority. Essa agência é responsável pela gestão dos recursos hídricos de 2,2 milhões de pessoas no sul de Nevada, incluindo Las Vegas.

Autoridades federais anunciaram medidas de emergência sem precedentes na semana passada para manter mais água naquele reservatório – e preservar a capacidade da represa Glen Canyon de gerar energia hidrelétrica – em vez de enviá-la a jusante para o Lago Mead.

“Nunca demos esse passo antes, mas o risco potencial no horizonte exige ação imediata”, disse a repórteres a secretária assistente de Água e Ciência, Tanya Trujillo, na semana passada. “Precisamos trabalhar juntos para estabilizar o reservatório antes de enfrentarmos uma crise maior.”