Mais orgânicos à mesa

Aos poucos, a tolerância do brasileiro para alimentos repletos de agrotóxicos começa a dar sinais de esgotamento. Para Tomás Abrahão, CEO da Raízs, uma das maiores plataformas de cestas de orgânicos delivery do País, “a tendência de aumento no consumo dessa categoria de alimentos já existia, mas foi acelerada durante a pandemia”. De 2014, ano de sua fundação, até 2019, quando faturou R$ 20 milhões, a empresa cresceu em média quatro vezes ao ano.

De 15 de março para cá, triplicou de tamanho. Hoje, oferece 2 mil itens comprados de 840 produtores. De acordo com o Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável (Organis), o percentual de brasileiros que havia consumido produtos livre de agrotóxicos passou de 17% para 19%. Frutas (25%) e verduras (24%) estão entre os prediletos. O local preferido para as compras, até o ano passado, eram as feiras (87%). Existem 786 feiras orgânicas no País, muitas com pontos físicos mantidos pelos produtores e boa parte com vendas integradas com plataformas de entrega em casa. Esse modelo, segundo a Organis, dobrou em volume de vendas após o isolamento social. Em alguns casos, a alta foi ainda maior. Produzindo orgânicos há mais de 30 anos, o sítio A Boa Terra viu suas vendas crescerem 300% no período. A maior parte dos 250 produtos comercializados é plantada na propriedade de 100 hectares. O restante vem de parceiros. “Temos uma produção 100% orgânica pensada para atender a necessidade de quem busca uma vida com mais saúde, em equilíbrio com natureza e respeitando o meio ambiente”, afirma o casal de propritárioos. As gerações futuras agradecem.

(Nota publicada na edição 1181 da Revista Dinheiro)

Veja também

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+Conheça os 42 anos de história da picape Mitsubishi L200

+ Remédio barato acelera recuperação de pacientes com covid-19

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?


Mais posts

Estado de emergência

Nem mesmo a notícia de que o fogo que consumiu mais de 3 milhões de hectares do Pantanal pode ter sido criminoso foi suficiente para [...]

Ingredientes locais valorizados

Inspirados no relatório Future 50 Foods, que traz os 50 alimentos do futuro por aliarem alto potencial nutritivo com baixo impacto [...]

R$ 1 milhão para economia circular

A fabricante de etiquetas Avery Dennison já investiu cerca de R$ 1 milhão no seu programa circular. Com o projeto, a empresa se compromete a transformar seus resíduos de liner papel, matéria prima para a fabricação de adesivos, em polpa celulósica utilizada na produção de papel-toalha usado em sua planta no Brasil. Estima-se que mais […]

Desmatamento sobe e impulsiona preço de cerveja

A Ambev lançou uma cerveja cujo preço flutua de acordo com os índices de desmatamento da Floresta Amazônica. Quando a área degradada [...]

Telemedicina para democratizar a saúde

Criado durante uma das expedições do Rally dos Sertões, com o objetivo de promover acesso gratuito à saúde em comunidades com [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.