Geral

Mais de 30 mil pessoas entraram para o clube dos ultra-ricos em 2019

Crédito: AFP/Arquivos

Jeff Bezos, fundador e diretor-geral da Amazon é o líder do clube de ultra-ricos, com fortuna avaliada em US$ 122 bilhões (Crédito: AFP/Arquivos)

Cerca 31 mil pessoas se juntaram ao clube dos ultra-ricos no ano passado, segundo relatório de riqueza 2020 da agência imobiliária Knight Frank, e a soma do seleto grupo já é maior que as populações da Islândia, Malta e Belize.

O número de indivíduos com patrimônio líquido muito alto – aqueles que possuem ativos superiores a US$ 30 milhões – subiu 6% em 2019 e agora soma mais de 513 mil pessoas.

+ Bilionários são mais ricos do que 60% da população mundial, diz ONG
+ Concentração de ultrarricos no Reino Unido domina campanha eleitoral
+ 58% dos benefícios do abono vão para os 50% mais ricos da população, diz Tesouro

A projeção do clube para os próximos anos é de ainda mais riqueza, já que a população dos mais ricos deve subir 27% até 2024 e ultrapassar as 650 mil pessoas. Isso se deve ao fato de que fortunas gigantescas estão em crescimento na Índia, Egito, Vietnã, China e Indonésia.

No Brasil a expectativa é de que o aumento dos ultra-ricos fique em 20% nos próximos cinco anos.

O número de milionários com rendimento superior aos US$ 50 milhões também subiu em 2019. São quase 47 mil pessoas nessa faixa de riqueza.

Apesar de o ano passado ter sido um período de muitos problemas mundiais, sobretudo econômicos, com o Fundo Monetário Mundial (FMI) reduzindo a projeção do Produto Interno Bruto (PIB) mundial de 3,5% em janeiro de 2019 para 2,9% no mesmo mês de 2020, os ultra-ricos seguiram sua expansão própria.

Apenas 11% dos gestores de patrimônio consultados na pesquisa relataram diminuição nos negócios e 63% obtiveram aumento.

Na lista dos dez países com mais ricos, os Estados Unidos concentram a maior parte do clube, com cerca de 240,5 mil pessoas entre aqueles que possuem ativos acima dos US$ 30 milhões. A China é a próxima, com 61,5 mil, seguida por Alemanha (23 mil), França (18,7 mil), Japão (17 mil), Reino Unido (14,3 mil), Itália (10,7 mil), Canadá (9,3 mil), Rússia (8,9 mil) e Suíça (8,3 mil).

O Brasil ocupa 17ª posição na lista, com 4,8 mil ultra-ricos.

O ranking de bilionários da Forbes, um dos mais famosos quando o assunto é fortuna pessoal, indica que sete empresários norte-americanos ocupam o top 10 global. Jeff Bezos, CEO da Amazon, e Bill Gates, presidente da Microsoft, são os dois mais ricos do mundo, com fortunas avaliadas em US$ 122 bilhões e US$ 114 bilhões, respectivamente

Países situados na Ásia e África são considerados emergentes no assunto, já que nessas regiões os ultra-ricos estão crescendo mais rápido do que em outros continentes. Egito e Índia são os responsáveis pelo fenômeno.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?