Compras

Mais da metade do País planeja comprar na Black Friday 2020

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

O levantamento realizado com 2.100 consumidores, entre os dias 2 e 6 de novembro, indica que 52% das pessoas pretende comprar algum item em 27 de novembro (Crédito: Arquivo/Agência Brasil)


Pouco mais da metade dos brasileiros pretende comprar algum item na Black Friday, uma das principais datas do varejo brasileiro depois do Natal, revela pesquisa da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop).

O levantamento realizado com 2.100 consumidores, entre os dias 2 e 6 de novembro, indica que 52% das pessoas pretende comprar algum item em 27 de novembro, data marcada para o evento neste ano.

+ Rede de shoppings diz antecipar Black Friday desde já com descontos de até 80%
+ Google Shopping ganha ferramentas de preços para a Black Friday

Entre os fatores que prejudicam a decisão de compra está a perda de renda ocasionada pela pandemia do novo coronavírus. Outros itens como a preocupação com o desemprego e a alta do dólar que encareceu muitos produtos também foram citados, informa a Alshop, por meio de nota.



Por outro lado, a pesquisa revela que entre o público que pretende consumir na Black Friday, 20% quer aproveitar as boas ofertas e 32% alegam que não tiveram dinheiro para comprar antes.

“Esta data cresceu muito também no varejo de shopping, que tem seguido todos os protocolos estabelecidos pelas autoridades com muito sucesso”, destaca, por nota, Nabil Sahyoun, presidente da Alshop.

Lojas

Se por um lado o sinal é de uma demanda robusta, por outro os empresários estão um pouco preocupados. Levantamento da startup vhsys em parceria com a empresa de tecnologia em serviços financeiros Stone aponta que 35% das micro e pequenas empresas (MPEs) temem que a falta de estoque possa atrapalhar as vendas.


Outras 10% das MPEs estão preocupadas com a dificuldade de atendimento devido ao aumento da demanda.

No entanto, 31% das empresas afirmam estar com o estoque adequado, especialmente porque vão aproveitar os produtos que ficaram sem giro nos meses anteriores. E outras 24% afirmam ter antecipado as compras e estão com o estoque bem dimensionado.