Finanças

Maioria das bolsas da Europa fecha em alta com recuperação e de olho em EUA-China

As bolsas da Europa fecharam em alta nesta sexta-feira, com exceção a de Milão, em meio a perdas recentes e ao noticiário sobre as relações comerciais entre Estados Unidos e China. Também foram observados indicadores de atividade, que refletem o desempenho da economia da zona do euro.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,44%, em 403,98 pontos, mas registrou queda de 0,51% na semana.

A falta de novidades significativas sobre as negociações para um acordo comercial preliminar entre EUA e China levou os mercados acionários a um dia de correção após quedas recentes. Em relação ao conflito, o presidente americano, Donald Trump, voltou a dizer que um acordo está “muito perto”. Já o presidente chinês, Xi Jinping, afirmou que pretende trabalhar para alcançar um entendimento, mas que pode “retaliar” os americanos caso a disputa entre os dois países se prolongue.

Investidores também observaram indicadores da economia europeia. O primeiro indicador a ser divulgado foi o crescimento de 0,1% do Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha do segundo para o terceiro trimestre do ano, surpreendendo analistas. Logo depois foi a vez do índice de gerente de compras (PMI, na sigla em inglês) composto – que engloba serviços e indústria -, que avançou de 48,9 para 49,2 de outubro para novembro, o maior nível em três meses.

No Reino Unido, o resultado do PMI composto não animou tanto. O dado passou de 50 em outubro para 48,5 em novembro, o menor nível em 40 meses. O PMI composto da zona do euro também apresentou uma queda inesperada em novembro, quando ficou em 50,3, ante 50,6 de outubro. Analistas previam avanço para 50,8.

Em Londres, o índice FTSE 100 fechou com valorização de 1,22%, com 7.326,81 pontos, subindo também na comparação semanal, em 0,33%. Na bolsa de Frankfurt, o índice DAX subiu 0,20%, a 13.163,88 pontos, mas teve queda na comparação semanal de 0,59%. Contribuíram para a alta desta sexta-feira o desempenho das ações da Daimler, que valorizaram 1,96%. Os papéis do Deutsche Bank subiram 0,72%.

O índice CAC 40, da bolsa de Paris, subiu 0,20%, a 5.893,13 pontos, amargando perda semanal de 0,78%. Em Madri, o índice Ibex 35 avançou de 0,44%, a 9.254,70 pontos, com queda de 0,07% na comparação semanal. Em Lisboa, o índice PSI 20 subiu 0,15%, a 5.180,55 pontos, com queda semana de 1,65%.

Já na bolsa de Milão, o índice FTSE-MIB recuou 0,09%, a 23.259,80 pontos, amargando queda de 1,39% na comparação semanal. Pesaram no índice o desempenho das ações da Fiat Chrysler, que fecharam em desvalorização de 0,57%, e os papéis do banco BPM, que caíram 0,97%.