Finanças

Maioria das Bolsas da Ásia fecha em alta, mas Xiaomi tomba e pressiona mercados

Crédito: Pexels

Ações da Xiaomi tombam e pressionam os mercados do oriente (Crédito: Pexels)

A maioria das bolsas da Ásia encerrou o pregão desta quarta-feira, 2, em alta, com ajuda dos recordes verificados na terça-feira em Wall Street. O tombo das ações da Xiaomi, contudo, pressionou os mercados do oriente e deixaram índices de Xangai e de Hong Kong no vermelho.

Em Tóquio, o índice Nikkei subiu 0,05%, para 26.800,98 pontos, acompanhado pelo Kospi (+1,58%, a 2.675,90 pontos), da Bolsa de Seul.

+ Bolsas de NY avançam de olho em fiscal e vacina; S&P 500 e Nasdaq batem recordes
+ Bolsas da Europa fecham em alta, com apetite por risco sustentado por vacina

Na China continental, o índice Shenzhen encerrou o dia em alta de 0,22%, aos 13.961,58 pontos.

Os três foram bastante influenciados pelo clima positivo global verificado no ocidente na véspera, quando o mercado asiático já estava fechado.

Em Nova York, houve renovação de máximas históricas, com investidores animados com estímulos fiscais e desenvolvimento de vacinas contra a covid-19.

Outros índices acionários asiáticos, contudo, marcaram queda nesta quarta-feira: o de Xangai, de -0,07%, para 3.449,38 pontos, e o Hang Seng, de Hong Kong, de 0,13%, aos 26.532,58 pontos.

Pesou sobre eles a tendência vendedora dos papéis da Xiaomi, após a fabricante de smartphones anunciar planos de levantar por volta de US$ 4 bilhões em debêntures. Só em Hong Kong, os papéis da empresa caíram 7,07%.

Na Oceania, o índice S&P/ASX 200, da Bolsa de Sidney, encerrou o pregão perto da estabilidade, em alta de 0,03%, aos 6.590,00.


Veja também
+ Trombose após vacinação com AstraZeneca: Quais os sintomas e como se deve atuar?
+ Auxílio: Governo antecipa pagamento da terceira parcela; veja o calendário
+ Confira 5 cuidados para ter na hora de vender um carro
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Ex-polegar é atropelado após encontro com Bolsonaro