Dinheiro em Ação

Magazine Luiza: lucro sobe 94% com comércio eletrônico

Magazine Luiza: lucro sobe 94% com comércio eletrônico

Papéis avulsos

A varejista Magazine Luiza lucrou R$ 140,7 milhões no segundo trimestre deste ano, alta de 94% em relação aos R$ 72,4 milhões do mesmo período de 2017. O resultado reflete o avanço de 66% nas vendas do comércio eletrônico, que representou 33% do faturamento de R$ 4,6 bilhões da companhia presidida por Frederico Trajano. Para além do mundo virtual, a empresa prossegue com a estratégia de expandir sua presença nas regiões Norte e Centro-Oeste. No trimestre, foram inauguradas 27 lojas, entre elas as primeiras em Goiânia (GO) e em São Luis (MA). Os números agradaram os investidores. Na terça-feira 7, as ações subiram 5,7% e fecharam cotadas a R$ 145,90, o maior preço de fechamento desde a abertura de capital da empresa, em abril de 2011. Para os analistas, a expectativa é positiva. “Estamos mais confiantes do que nunca no foco, na execução e na estratégia de longo prazo da empresa”, avalia Fábio Monteiro, analista do BTG Pactual, em relatório.

 

Siderurgia

CSN volta ao azul

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) lucrou R$ 1,16 bilhão no segundo trimestre deste ano, revertendo o resultado do mesmo período do ano passado. Entre abril e junho de 2017, a companhia presidida por Benjamin Steinbruch havia registrado um prejuízo de R$ 659 milhões. O faturamento trimestral cresceu 32%, avançando de R$ 4,31 bilhões em 2017 para R$ 5,68 bilhões neste ano. Parte do lucro deveu-se à venda da americana CSN LLC à Steel Dynamics, em maio, por US$ 400 milhões.

 

Aviação

Prejuízo da Gol avança

A companhia aérea Gol divulgou que a demanda total por assentos de seus voos cresceu 6,3% em julho ante o mesmo período de 2017. O percentual é inferior ao crescimento de 7% na oferta de assentos no período. Com isso, a taxa de ocupação das aeronaves recuou 0,5 ponto percentual no mês, para 81,5%. A Gol apontou a pressão cambial como um dos motivos do prejuízo de R$ 1,3 bilhão apresentado no segundo trimestre deste ano, aumento de 220% comparado às perdas de R$ 409,5 milhões do mesmo período de 2017. As ações caem 4,2% no ano.

 

Touro x Urso

A cena política segue no radar dos investidores, que aguardam novas pesquisas para avaliar as mudanças na corrida ao Planalto. A cautela incentivou o movimento vendedor fez o Ibovespa recuar 2,81% na semana, até quarta-feira 8. No entanto, os bons resultados das empresas no segundo trimestre limitaram as quedas. O principal indicador do mercado acionário brasileiro acumula uma alta de 3,5% no ano.

 

Destaque no pregão

Pan garante ganho cortando custos

O banco Pan lucrou R$ 42,2 milhões no segundo trimestre de 2018, queda de 25,4% em comparação ao primeiro trimestre e de 1,4% em relação ao mesmo período de 2017. Segundo Luiz Francisco Monteiro de Barros, presidente do banco, o resultado deveu-se a um programa de corte de custos, que reduziu as despesas do primeiro semestre para R$ 152 milhões, queda de 14% em relação a 2017. “Reduzimos o quadro de pessoal em 30% no primeiro semestre”, diz ele. No fim de junho, o banco empregava 2,2 mil pessoas. Segundo Barros, o Pan pretende ganhar eficiência por meio da digitalização. No ano, as ações recuam 3,9%.

Palavra do analista:
Segundo Tatiana Brandt e Raul Grego, analistas da Eleven Financial, o desempenho ficou abaixo do esperado. A carteira de crédito cresceu 1,5% no trimestre e permaneceu praticamente inalterada no ano. “O índice de inadimplência acima de 90 dias caiu de 6,0% no primeiro trimestre para 5,7% no segundo trimestre, patamar ainda alto se comparado ao mercado”, escreveram.

 

Energia

Bons ventos para a AES Tietê

A receita da geradora de energia AES Tietê cresceu para R$ 461,9 milhões no segundo trimestre deste ano, alta de 15,7% ante 2017. O resultado foi ampliado pelo faturamento de R$ 55 milhões do complexo eólico baiano de Alto Sertão II, adquirido no ano passado. O lucro da AES Tietê cresceu 2,2% no período para R$ 93 milhões. As ações caem 15,9% no ano.

 

 

Mercado em números

BB SEGURIDADE
R$ 910 milhões – Foi o lucro líquido da divisão de seguros do Banco do Brasil no segundo trimestre, queda de 4,8% ante o mesmo período de 2017

TAESA
R$ 259 milhões – Foi o lucro da transmissora de energia elétrica no segundo trimestre deste ano, com alta de 260% em relação ao mesmo período de 2017

ABC BRASIL
R$ 111,6 milhões – Foi o lucro do banco no segundo trimestre deste ano, alta de 4,21% na comparação anual.

IGUATEMI
R$ 60,6 milhões – Foi o lucro líquido informado pela administradora de shopping centers no segundo trimestre deste ano, alta de 19% em comparação com o mesmo período de 2017

PETROBRAS
US$ 975 milhões – É o valor das dívidas com os bancos Safra, MUFG e Bank of America que venceriam em 2022, mas cujo pagamento foi adiantado pela estatal na semana passada