Edição nº 1088 21.09 Ver ediçõs anteriores

Maçã de Taiwan

Maçã de Taiwan

A MediaTek espera que a batalha judicial travada entre Apple e Qualcomm possa render à fabricante taiwanesa de processadores um novo e importante parceiro. De acordo com o site taiwanês DigiTimes, a empresa de Cupertino abriu conversas com a MediaTek para substituir a rival americana no fornecimento de chips para seus produtos. A ideia é de que, a partir de 2020, os semicondutores asiáticos passem a integrar os iPhones para dar suporte à rede de internet 5G. O site ainda relata que a MediaTek pode ajudar a fabricar chips também para o HomePod, o alto-falante inteligente da empresa da maçã. As duas empresas não comentaram o assunto.

(Nota publicada na Edição 1077 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Sabotagem na Amazon

A Amazon está investigando um possível caso de sabotagem de seus serviços. De acordo com o jornal americano The Wall Street Journal, a [...]

Liderança roxa

A Nubank é a startup brasileira melhor colocada em um levantamento feito pela rede social LinkedIn. O estudo, divulgado na terça-feira [...]

Resposta instantânea

Mariano Gomide, co-CEO da VTEX, desenvolvedora de soluções de computação em nuvem para e-commerces

Sinal ruim

As vendas de celulares no Brasil caíram no primeiro semestre do ano. De acordo com a consultoria IDC, foram vendidos 24,1 milhões de [...]

Turista espacial

O empresário japonês Yusaku Maezawa é o primeiro cliente da SpaceX, empresa de exploração espacial do bilionário Elon Musk. Com fortuna [...]
Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.