Edição nº 1100 14.12 Ver ediçõs anteriores

Luzes da cidade limpa

Luzes da cidade limpa

A energia limpa está avançando consistentemente no mundo. É o que mostram os dados reunidos pela Carbon Disclosure Program (CDP), organização americana que divulga informações climáticas. O total de cidades que obtêm, no mínimo, 70% do seu consumo elétrico de fontes renováveis ultrapassou a marca de 100, em 2017, o dobro em comparação há dois anos. Há dois motivos para isso. Primeiro: mais cidades estão reportando seus dados ao CDP, o que gera uma base mais consistente – hoje, são 570 municípios. Ao mesmo tempo, segundo a organização, há uma tendência global de migração das energias sujas, como carvão e petróleo, para as limpas, como eólica e solar.

Chamam a atenção algumas cidades, como Harare, no Zimbábue (foto). Com 1,7 milhão de habitantes, o município tem 80% de sua energia proveniente de fonte renovável. Deste total, 60% vêm de hidrelétricas e 20% do sol. É a metrópole com maior percentual de energia solar, seguida por San Diego, nos Estados Unidos, com 18%. As cidades portuguesas de Braga e Cascais geram mais da metade de sua energia por meio do vento.

Já o Brasil concentra mais da metade das cidades que tiram 70%, ou mais, da energia de fontes renováveis. A geração hidrelétrica é a responsável por isso. Mais de 20 cidades têm 100% de sua eletricidade gerada pelas águas, entre elas Salvador e Curitiba. Um caso interessante é o do Rio de Janeiro. A cidade, com 7 milhões de habitantes, tem cerca de um terço de sua energia oriunda da biomassa. Caxias do Sul (RS), por outro lado, recebe um quarto da eletricidade de usinas a carvão. Além dela, outras três cidades brasileiras, todas no Rio, têm mais de 5% de participação desse tipo de energia suja em suas matrizes: Rio de Janeiro, Angra dos Reis e Duque de Caxias.

(Nota publicada na Edição 1060 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Descarte de vidro ganha um aliado

Embora produzido com elementos naturais, como a sílica, presente na areia das praias, o vidro leva quatro mil anos para se decompor e [...]

Brasil abriga 453 garimpos ilegais

A Amazônia brasileira conta com 453 garimpos ilegais. Isso é o que indica um estudo apresentado na segunda-feira 10 pela Raisg (Rede [...]

O troca-troca dos índios com os ruralistas

Um levantamento do jornal O Estado de S. Paulo, realizado a partir de dados fornecidos pela Fundação Nacional do Índio (Funai), [...]

Sorriso Solidário

O Instituto Sorridents, braço social da rede odontológica Sorridents, promoveu um jantar beneficente no Clube Homs, hotel em São Paulo, no último dia 28 de novembro. Com apoio de empresas como Nutty Bavarian, Bauducco, Cacau Show e Le Postiche, a ação reuniu 300 pessoas que participaram do leilão de produtos diversos, diárias em Spa, camisas […]

Desigualdade volta a crescer

Segundo pesquisa da ONG Oxfam Brasil, encomendada ao Instituto Datafolha, o Brasil passou da décima para a nona colocação no ranking das nações mais desiguais do mundo. O relatório “País Estagnado: Um Retrato das Desigualdades Brasileiras”, divulgado em 26 de novembro, mostra que, depois de 15 anos consecutivos de melhoria, a desigualdade de renda aumentou […]

Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.