Giro

Luva permite identificar alimentos com pesticidas

Crédito: Reprodução/Divulgação

Para analisar líquidos e frutas, basta mergulhar o dedo ou tocar na superfície da fruta. Cada dedo tem um sensor caapaz de detectar um tipo de pesticida (Crédito: Reprodução/Divulgação)

Cientistas da Universidade de São Paulo (USP) anunciaram a criação de uma luva de borracha sintética que é capaz de detectar a presença de resíduos de pesticidas em alimentos. De acordo com a informação divulgada pela Agência Fapesp, o dispositivo embutido nos dedos da luva através de serigrafia utilizando uma tinta condutora de carbono permite a detecção de resíduos de fungicidas, de herbicidas e de inseticida.

+ Novas regras publicadas devem acelerar registro de agrotóxicos, diz Sindiveg



Para analisar líquidos e frutas, basta mergulhar o dedo ou tocar na superfície da fruta. Cada dedo tem um sensor caapaz de detectar um tipo de pesticida, por isso é preciso tocar na amostra com o indicador, o médio e o anelar para conseguir o resultado em questão de minutos através de  um software que recebe as informações enviadas pela luva e processa os dados.

Além de causar danos à saúde humana, pesticidas são prejudiciais ao meio ambiente. Uma pesquisa publicada na Nature Geoscience mostrou que os locais com grande biodiversidade fazem parte de 34% de áreas de alto risco, em que a qualidade de fontes de água podem ser deterioradas e os ecossistemas podem entrar em desequilíbrio.

Conforme o pesquisador Raymundo-Pereira, a patente da luva está sendo negociada com o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi). “Os sensores custam menos de US$ 0,1. O custo principal é a luva. Usamos uma luva nitrílica porque é menos porosa que a de látex. Com a pandemia, o preço dela disparou. E o custo individual subiu. Mas, ainda assim, o dispositivo que criamos é um produto muito barato. Mais acessível que os testes feitos atualmente”.

+ Confira 10 receitas para reaproveitar ou turbinar o arroz do dia a dia