Edição nº 1122 24.05 Ver ediçõs anteriores

Lugar de empresa é no parque

Lugar de empresa é no parque

O Instituto Semeia, ONG criada pelo co-fundador da Natura, Pedro Passos, quer aproveitar a onda pró-privatizações do futuro governo para acelerar os processos de concessão de parques públicos (como o Ibirapuera, em São Paulo). A ideia é promover o debate entre a população e, ao mesmo tempo, convencer empresários de que investir em áreas públicas de lazer e entretenimento é um bom negócio. O pontapé inicial é uma plataforma online em que qualquer pessoa pode consultar a situação dos locais e conferir se já são administrados por Parcerias Público Privadas (PPPs).

Os governos mudam e os parques continuam sucateados. Por que?
Os parques brasileiros, em geral, são mal administrados. É um imenso potencial não aproveitado. Atualmente, os parques no Brasil recebem 10 milhões de visitantes por ano. Nos Estados Unidos, são 330 milhões.

Mas isso é resultado de parques degradados e inseguros…
Existem esses fatores, mas o principal é a questão cultural. A gente está disposto a descer a serra e ficar seis horas no transito, mas não tem interesse em visitar o Parque Nacional de Itatiaia, que fica no caminho. Os parques precisa entrar na rota do turismo.

A situação dos parques é comparável a dos museus?
A realidade dos museus é muito parecida com o dos parques e das bibliotecas. A maioria é muito mal gerida.

O presidente eleito Jair Bolsonaro não demonstra muito interesse em defender questões ambientais. Essa postura pode atrapalhar?
Do ponto de vista ambiental, estou preocupado. Do ponto de vista das concessões de parques, estou otimista.

(Nota publicada na Edição 1096 da Revista Dinheiro, com colaboração de: Cláudio Gradilone)


Mais posts

“O Brasil vai voltar a atrair investimentos”

Entrevista Jorge Apaez, CEO do Grupo IHG para América Latina O executivo mexicano Jorge Apaez, CEO do grupo hoteleiro IHG na América [...]

Alguém ganhou com o IPO da Uber

A malfadada abertura de capital da Uber, cujas ações despencaram 9% em apenas uma semana, gerou efeitos colaterais positivos para uma [...]

Quer pagar quanto?

Os brasileiros estão, cada vez mais, descobrindo as vantagens das empresas digitais de renegociação de dívidas. Tanto é que a [...]

Maconha liberada, lucro bilionário

Se fosse liberado, o mercado de cannabis acessível (maconha regulamentada e lícita) movimentaria cerca de US$ 2,4 bilhões no Brasil, [...]

O app de quem não tem plano

Pelos cálculos do Minis-tério da Saúde, uma consulta médica pelo SUS pode demorar mais de 12 meses em várias regiões do País. Ao [...]
Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.