Negócios

Lucro líquido da Light sobe 77% no 1º trimestre ante 1 ano, para R$ 164 milhões

A Light apresentou no primeiro trimestre lucro líquido de R$ 164 milhões, 77,1% superior ao mesmo período do ano passado, aumento atribuído pela diretoria ao desempenho favorável da geradora e da comercializadora.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado consolidado ficou em R$ 575 milhões, 21,7% acima do primeiro trimestre de 2018, explicado pelo melhor GSF (o chamado “risco hidrológico”), que aumentou o Ebitda da geradora em R$ 58 milhões, e pela indenização de contratos da comercializadora, de R$ 32 milhões. A margem Ebitda ajustado subiu para 18,1%, de 16,6% no primeiro trimestre de 2018.

A receita líquida da companhia, desconsiderando construção, foi de R$ 3,179 bilhões, 11,8% maior que a do mesmo período do ano passado.

O mercado total faturado cresceu 2,5% no comparativo, devido a temperaturas mais elevadas nos meses de janeiro e fevereiro deste ano, com alta de 3,5% na classe residencial e de 5% na comercial.

A energia vendida foi 9% maior no mercado livre (ACL), para 576 Mwm, e no mercado spot cresceu 28,8%, para 133 MWm. “O volume de venda de energia no ACL e no SPOT no 1T19 ficaram acima do observado no mesmo período do ano anterior uma vez que o GSF médio no 1T19 (149,2%) foi superior ao do 1T18 (112,4%)”, explica o informe de resultados.

O indicador de alavancagem Dívida Líquida/EBITDA cresceu para 3,70x, de 3,21x no primeiro trimestre de 2018, porém a companhia frisa que segue abaixo do limite máximo de 3,75x estabelecido na maioria dos contratos de dívida (covenants).