Dinheiro em Ação

Lucro do BB cresce 11%

Lucro do BB cresce 11%

Papéis avulsos

O lucro do Banco do Brasil no terceiro trimestre foi de R$ 3,17 bilhões, um crescimento de 11% em relação aos R$ 2,8 bilhões do mesmo período de 2017. O resultado do banco presidido por Marcelo Labuto foi beneficiado por uma redução com as perdas com inadimplência, controle das despesas e uma elevação das receitas com tarifas, segundo analistas. As perdas com devedores duvidosos no terceiro trimestre foram de R$ 4,9 bilhões, queda de 22% em relação ao mesmo período de 2017. Já as receitas com tarifas avançaram 4,7%, subindo de R$ 6,5 bilhões no ano passado para R$ 6,9 bilhões neste ano, apesar de a carteira de crédito ter crescido apenas 1,4% em 12 meses, encerrando setembro com um saldo de R$ 686 bilhões. Com os resultados, o BB conseguiu elevar a rentabilidade anualizada sobre o patrimônio líquido em 1,5 ponto percentual, para 14,3% ao ano.

 

Petroquímica

Unipar a caminho do bilhão

Apesar de enfrentar uma situação adversa em suas operações na Argentina, devido à fragilidade da economia do país, a Unipar Carbocloro conseguiu elevar seus preços e ampliar suas margens no terceiro trimestre. Assim, apesar de a receita líquida entre julho e setembro de 2018 ter sido de R$ 771 milhões, queda de 3,6% em relação a 2017, a geração de caixa medida pelo Ebitda foi de R$ 245 milhões, alta de 31,7% em relação aos R$ 186 milhões do ano passado. No acumulado dos três primeiros trimestres, a geração de caixa foi de R$ 830,78 milhões, praticamente o dobro dos R$ 413,9 milhões do ano passado. Com isso, a empresa poderá encerrar 2018 com uma geração de caixa superior a R$ 1 bilhão. No ano, as ações avançam 175%.

 

Mercado

B3 mantém desempenho

A B3 soube aproveitar a volatilidade dos mercados entre junho e setembro.
A empresa lucrou R$ 465 milhões, alta de 38% em relação aos R$ 336 milhões do mesmo período de 2017. Esse resultado mostra uma melhoria operacional, pois superou o crescimento de 9% nas receitas, que avançaram para R$ 1,16 bilhão neste ano. No ano, as ações sobem 16,7%.

 

Educação

Nota baixa para os números da Kroton

Os números da Kroton no terceiro trimestre pioraram em relação ao ano passado. A empresa presidida por Rodrigo Galindo faturou R$ 1,25 bilhão entre julho e setembro, queda de 5,5% em relação ao R$ 1,32 bilhão do mesmo período de 2017. O lucro caiu 22,9%, baixando de R$ 450 milhões em 2017 para R$ 347,8 milhões em 2018. Segundo analistas, a queda dos resultados deveu-se à elevação do número de alunos no ensino à distância e ao aumento de 1,9% na concessão de bolsas e descontos neste ano, para fazer frente à evasão escolar. No ano, as ações caem 38,8%.

 

Touro x Urso

O índice Bovespa oscilou ao longo da terceira semana de novembro devido à volatilidade dos preços internacionais do petróleo, que provocaram solavancos nas ações da Petrobras. Na quarta-feira 14, a alta das cotações da commodity fez com que o principal indicador do mercado brasileiro retomasse a trajetória de alta e encerrasse os negócios perto de 86 mil pontos. No mês, a queda acumulada é de 1,7%.

 

Destaque no pregão

Itaúsa vai pagar mais dividendos

A Itaúsa, empresa de participações que controla o Itaú Unibanco e empresas industriais como Alpargatas e Duratex, anunciou um lucro de R$ 2,48 bilhões no terceiro trimestre, alta de 5,5% em relação ao mesmo período de 2017. A companhia presidida por Alfredo Egydio Setubal foi beneficiada pelo crescimento de 2% nos resultados de equivalência patrimonial do banco, que avançaram para R$ 2,3 bilhões. A empresa anunciou uma elevação de 33% no valor dos dividendos pagos trimestralmente, que deverão subir dos atuais R$ 15 por mil ações para R$ 20 por mil ações, tendo como base de cálculo a posição acionária no dia 30 de novembro. Na quarta-feira 14, as ações fecharam a R$ 11,55 e, no ano, as cotações dos papéis sobem 27,6%.

Palavra do analista:
Tatiana Brandt, analista da Eleven Financial, recomenda a compra dos papéis da Itaúsa devido às boas perspectivas para os resultados do Itaú Unibanco no quarto trimestre do ano e pelos prognósticos positivos para as empresas não financeiras. Já o analista Régis Chinchila, da Terra Investimentos, avalia que as ações devem iniciar um novo movimento de alta, com preços-alvo entre R$ 12,40 e R$ 13,00.

 

 

Mercado em números

ELETROBRAS
R$ 1,6 bilhão – Foi o prejuízo da estatal que controla o setor elétrico nacional no terceiro trimestre. No mesmo período do ano passado, o lucro havia sido de R$ 537 milhões

BURGER KING
R$ 611 milhões – Foi o faturamento da rede de refeições rápidas no terceiro trimestre, alta de 37,9% em relação aos R$ 443 milhões do mesmo período de 2017

NATURA
118% – Foi o crescimento do lucro da fabricante de cosméticos no terceiro trimestre, que subiu de R$ 61 milhões em 2017 para R$ 133 milhões neste ano

EUCATEX
72% – Foi a queda dos lucros da companhia de painéis de madeira no terceiro trimestre, que recuou de R$ 30,2 milhões para R$ 2,8 milhões

QUALICORP
45% – Foi a queda no número de beneficiários da empresa de saúde no terceiro trimestre, que recuaram para 2,6 milhões na comparação com o mesmo período de 2017. No ano, as ações recuam 54%