Dinheiro em Ação

Lucro de bancos cresceu menos em 2017

Lucro de bancos cresceu menos em 2017

Papéis avulsos

Uma análise dos balanços de 2017 mostra uma mudança nos resultados das companhias abertas. Na ponta do lápis, o ano passado foi bom. Segundo um levantamento da empresa de informações financeiras Economatica, a soma dos resultados de 295 companhias listadas na B3 resultou em um lucro de R$ 144 bilhões, alta de 17% ante 2016. Na média, os bancos seguem como os mais rentáveis. Somados, os lucros de 23 empresas financeiras resultam em R$ 63 bilhões. Porém, o lucro dos bancos cresceu 12,3% no ano passado, abaixo da média do mercado, devido à queda da taxa de juros, que reduziu os ganhos do setor. Entre as empresas não financeiras, o melhor resultado foi da mineradora Vale, presidida por Fábio Schvartzman. Ela lucrou R$ 17,6 bilhões, 32,8% mais que os R$ 13,3 bilhões em 2016. A alta deveu-se ao avanço de 22% nos preços do minério de ferro, que representa 74% da receita.

 

Óleo e gás

Petrobras coloca mais ativos à venda

A Petrobras vai vender três campos petrolíferos marítimos e dois terrestres, com o objetivo de arrecadar US$ 21 bilhões até o fim do ano. Serão leiloados 100% do campo de Baúna, na Bacia de Santos (SP), e 50% do módulo III de produção de Espadarte e do campo de Tartaruga Verde, ambos localizados na Bacia de Campos (RJ). Em terra, serão vendidos os campos Riacho da Forquilha, no Rio Grande do Norte, e Miranga, na Bahia. As ações sobem 26,5% no ano.

 

Telecomunicação

Vivo investigada por mau uso de dados de clientes

A Vivo está sendo investigada, desde a semana passada, pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios. A suspeita é de uso ilegal dos dados de 73 milhões de usuários no País para fins publicitários, por meio da plataforma Vivo Ads. Informações como a localização e os sites acessados pelos clientes estariam disponíveis para os anunciantes, que poderiam veicular publicidade segmentada. Procurada, a companhia informou, em nota, que “assegura que as informações de seus clientes não são transferidas ou compartilhadas com anunciantes”. As ações sobem 5,4% no ano.

 

Touro x Urso

A preocupação com uma eventual guerra comercial entre China e Estados Unidos provocou pessimismo no mercado mundial. No Brasil, além dessa incerteza, os investidores evitaram tomar risco até saberem a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em relação ao habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Após o STF negar o pedido da defesa de Lula, a bolsa andou. Na quinta-feira 5, o Ibovespa subiu 1,01%, aos 85.209 pontos. No ano, o índice avança 11,53%.

 

Destaque no pregão

Reforma ministerial poderá facilitar privatização da Eletrobras

A reforma ministerial iniciada na semana passada animou os investidores nas ações da Eletrobras. Vários ministros deixaram ou devem deixar o governo, para disputar cargos nas eleições de outubro (leia mais na página 30). Entre eles está Fernando Bezerra Coelho, titular do Ministério das Minas e Energia (MME). Na quarta-feira 4, o nome mais cotado para substituí-lo era o de Paulo Pedrosa, secretário-executivo do Ministério. Os analistas de mercado avaliam que sua indicação para o cargo vai facilitar a venda da estatal. Ainda há diversos pontos a serem resolvidos, como o destino da Eletronuclear e da hidrelétrica Itaipu, Desatar esses nós requer conhecimento do assunto. “O perfil técnico de Pedrosa é importante neste momento”, diz Vitor Suzaki, analista da Lerosa Investimentos.

Palavra do analista:
Até quarta-feira 4, as ações PNB da Eletrobras haviam subido 3,3%, para R$ 24,90. O preço-alvo médio é de R$ 31,11, alta potencial de 24,9% em 12 meses. “Com a privatização, a tendência é que a companhia pague mais dividendos”, diz Vitor Suzaki, da Lerosa Investimentos.

 

Quem vem lá

Hapvida deve levantar R$ 2,8 bilhões em IPO

A operadora de saúde Hapvida, sediada em Fortaleza, definiu na semana passada a faixa de preço para sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), que ficou entre R$ 20,41 e R$ 25,66 por ação. Considerando o preço médio da faixa indicativa, o IPO pode levantar R$ 2,8 bilhões. A companhia, fundada por Cândido Pinheiro e que atua no Norte e no Nordeste, pretende alocar parte do montante para investir em tecnologia e capacitação profissional. A estreia na Bolsa está prevista para 23 de abril.

 

 

Mercado em números

Lojas Americanas
R$ 500 milhões – É quanto a rede varejista pretende captar emitindo debêntures simples, com cinco anos de prazo e que pagarão juros de 116% do CDI

Forjas Taurus
R$ 286 milhões – Foi o prejuízo da empresa de armamentos em 2017, um crescimento de 177% em relação às perdas de R$ 103 milhões de 2016

Itaúsa
171,3 milhões – É o total de ações da holding controladora do Itaú Unibanco que foram subscritas no aumento de capital iniciado em fevereiro, representando R$ 1,37 bilhão. Foram subscritas 105,6 milhões de ações preferenciais e 65,7 milhões de ações ordinárias

Ser Educacional
5,48 milhões – É o total de ações da empresa de educação que serão recompradas, correspondendo a 8,6% das 64,1 milhões de ações em circulação. O programa vai até abril de 2019

Anima
103,7 mil – Foi o número de alunos matriculados nos cursos da empresa de educação no primeiro semestre deste ano, um crescimento de 4,8% em relação ao mesmo período do ano anterior