Giro

LSD pode oferecer tratamento viável para certos transtornos mentais

Crédito: Reprodução/Pexels

Pesquisadores canadenses descobriram um dos possíveis mecanismos que contribui para a capacidade do LSD de aumentar a interação social. (Crédito: Reprodução/Pexels)

Pesquisadores da Universidade McGill, no Canadá, descobriram, pela primeira vez, um dos possíveis mecanismos que contribui para a capacidade da dietilamida do ácido lisérgico (LSD) de aumentar a interação social. As descobertas, que podem ajudar a desbloquear potenciais aplicações terapêuticas no tratamento de doenças psiquiátricas, incluindo ansiedade e transtornos por uso de álcool, foram publicadas na revista PNAS.

Drogas psicodélicas como LSD eram populares na década de 1970 e vêm ganhando popularidade no últimos anos, com relatos de jovens profissionais que afirmam tomar regularmente pequenas microdoses não alucinógenas de LSD para aumentar sua produtividade, criatividade e aumentar sua empatia . O mecanismo de ação do LSD no cérebro, entretanto, permaneceu um mistério.

+ Câmara dos EUA aprova descriminalização da maconha em todo o país
+ Ambev e High Park Farms farão pesquisa de bebidas com extratos de canábis

Para conduzir seu estudo, os pesquisadores administraram uma dose baixa de LSD a ratos durante um período de sete dias, resultando em um aumento observável na sociabilidade dos ratos. Os pesquisadores observam que o principal resultado de seu estudo é a capacidade de descrever, pelo menos em roedores, o mecanismo subjacente para o efeito comportamental que resulta no aumento dos sentimentos de empatia do LSD, incluindo uma maior conexão com o mundo e a sensação de fazer parte de uma grande comunidade.



Usando a técnica em que genes para proteínas sensíveis à luz são introduzidos em tipos específicos de células cerebrais a fim de monitorar e controlar sua atividade, os pesquisadores observaram que, quando a transmissão excitatória no pré-frontal o córtex é desativado, o efeito pró-social do LSD foi anulado, destacando a importância desta região do cérebro na modulação dos efeitos comportamentais do LSD.

Tendo descoberto que o LSD aumenta a interação social em ratos, os pesquisadores esperam continuar seu trabalho e testar a capacidade do LSD para tratar ratos mutantes que apresentam déficits comportamentais semelhantes aos observados em patologias humanas, incluindo transtornos do espectro do autismo e transtornos de ansiedade social. A esperança é eventualmente explorar se as microdoses de LSD ou alguns novos derivados podem ter um efeito semelhante em humanos e se também pode ser uma opção terapêutica viável e segura.

Veja também
+ Como podcasts podem ajudar na educação financeira do brasileiro
+ Mistério: mulher descobre que não é a mãe biológica de seus próprios filhos
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km