Revista

Loucura acima de tudo. Bolsonaro contra todos.

Crédito: Mateus Bonomi

Com a Semana-do-Circo-em-Chamas em evidência, onde andam Mourão, Heleno, Ramos e Braga Netto? Nem eles querem sair nesta foto. (Crédito: Mateus Bonomi)

Ser amigo de Bolsonaro não anda sendo boa aposta para as sextas-feiras. Dia 13, Roberto Jefferson (presidente do PTB) e Daniel Silveira (deputado federal pelo PSL-RJ) foram presos pelos ataques ao STF. Na sexta seguinte (20), o STF emitiu mandados de busca e apreensão contra o sertanejo Sérgio Reis e Otoni de Paula (deputado federal pelo PSC-RJ). A reação do presidente? Encaminhar ao Senado pedido de impeachment do ministro do STF Alexandre de Moraes, o que causou reação de dez partidos, da OAB, da magistratura e até dos letárgicos presidentes da Câmara e do Senado. Na segunda-feira (23), governadores se reuniram para tentar baixar a fervura. Iriam soltar uma carta puxando a orelha do presidente, mas recuaram e decidiram apenas fazer um pedido de reunião. Conseguiram o quê? Nada. Pelo menos até a quarta-feira (25). Bolsonaro fez o oposto. Passou a convocar desvairadamente manifestantes para o 7 de Setembro, o novo Dia do Fico (Louco). Enquanto isso, as acusações pelo crime de rachadinhas feitas por Andrea Siqueira Valle, ex-cunhada do presidente e sua funcionária de gabinete por duas décadas viraram investigações na Procuradoria-Geral da República, o que pode explicar muito dessa barulheira do presidente.

BOLSONARISMO DE CHOQUE
PM contaminada

Divulgação

Estes dois anos de inércia das instituições com os arroubos de Bolsonaro (parlamentares, PGR, Forças Armadas e STF, até agora há pouco) podem já ter custado mais do que se pensa. Na segunda-feira (23), João Doria, governador de São Paulo, afastou um comandante da Polícia Militar do estado que usou as redes sociais para convocar manifestantes e incentivar os atos antidemocráticos e de apoio a Bolsonaro previstos para o 7 de setembro. Aleksander Lacerda é coronel e comandava 5 mil homens na região de Sorocaba, cidade a uma hora da capital. “Indisciplina não será admitida na PM”, afirmou o governador. O caso é um flagrante claro de indisciplina — do mesmo tipo que o Exército ignorou em relação a Eduardo Pazuello, o que pode ter funcionado de exemplo ao coronel paulista. Sabidamente, as fileiras das PMs costumam ser mais indisciplinadas do que as das Forças Armadas. São elas que cuidam de protestos contra ou a favor de Bolsonaro, por exemplo. As mesmas que nos atos de Recife, no fim de maio, reprimiram a manifestação pacífica de forma violenta e fizeram duas pessoas perderem parte da visão, vítimas de balas de borracha nos olhos.

59,8% brasileiros adultos com uma dose de vacina

27,2% brasileiros adultos totalmente vacinados

20,6 milhões brasileiros infectados

576,7 mil brasileiros mortos

SABATINA CONFIRMA PGR
Terreno arado

Mateus Bonomi

Augusto Aras tentou deixar claro que não que entrar para a história como um engavetador-geral da República em sua sabatina no Senado para ser reconduzido por mais dois anos ao cargo de procurador-geral (PGR). Pelo menos ele terá um segundo mandato para mudar essa imagem. Na terça-feira (24), os senadores aprovaram seu nome por 55 votos a favor, 10 contrários e 1 abstenção. Há dois anos, ele teve um placar mais folgado: 68 a 10. O PGR afirmou em sua sabatina que realizou 53 operações “sem vazamentos seletivos ou espetáculos midiáticos” (a.k.a. Sergio Moro). Nas duas vezes em que ocupou o cargo, Aras não fez parte da lista tríplice de mais votados entre os próprios colegas de procuradoria.

“Ivermectina é para gado. Não deve ser usada para tratar ou evitar Covid” FDA, agência de drogas dos EUA, no sábado (21). Obs: Parece piada pronta falar de uso para gado no contexto brasileiro.

CHINA: MARCHA SEM VOLTA
Maior classe média do mundo

“Tentei chamar a atenção para que os agentes do mercado olhem além do ruído fiscal”, Roberto Campos Neto Presidente do BC, na terça-feira (24). (Crédito:Mateus Bonomi)

Entre muitas decisões estúpidas da diplomacia brasileira, provocar a China deve ter sido a pior delas. O país vive uma “transformação histórica”, disse o ministro do Comércio, Wang Wentao, na terça-feira (24). A classe média de mais de 400 milhões de pessoas tem feito a demanda doméstica se tornar a base estratégica para uma economia forte — o investimento estrangeiro subiu 4,5%, frente a uma queda global de 35%. Inflar a classe média não foi algo aleatório e sim uma política de Estado. Em comparação com 2012, quando o país anunciou sua meta de moldar uma sociedade majoritariamente de classe média, e 2020 as vendas de bens de consumo na China saltaram 90%.