Giro

Londres tem mais estátuas de animais do que de mulheres e negros

Crédito: Reprodução/Pixabay

Em Londres, 8% das esculturas públicas retratam animais, enquanto apenas 4% retratam mulheres e pessoas de cor representam apenas 1% (Crédito: Reprodução/Pixabay)

Em Londres, 8% das esculturas públicas retratam animais, enquanto apenas 4% retratam mulheres, de acordo com o estudo da instituição de caridade britânica Art UK, publicado na quinta-feira, 21. Pessoas de cor representam apenas 1% das esculturas da cidade, com mulheres de cor respondendo por 0,2%, concluiu.



Os números contrastam com as estátuas e esculturas dedicadas aos homens, que representam mais de 20% dos 1.500 monumentos da cidade e mais de 79% de todas as estátuas dedicadas a “pessoas nomeadas”, disse o relatório. Realeza, figuras militares, políticos, escritores, artistas, designers e atores estão entre os temas masculinos mais comumente retratados, disse Art UK.
O grupo coleta dados sobre as esculturas de Londres desde 2017, como parte de um grande projeto de pesquisa, que é financiado em parte pela Prefeitura. Entre as maiores cidades do Reino Unido, Londres tem a maior porcentagem de esculturas dedicadas a mulheres. Em todo o país, a Rainha Vitória, que reinou de 1819 a 1901, é a mulher mais representada.
Muitos dos monumentos da Grã-Bretanha enfrentaram um acerto de contas desde os protestos globais contra o racismo sistêmico e a desigualdade no ano passado. Em junho de 2020, manifestantes do Black Lives Matter em Bristol, Reino Unido, derrubaram uma estátua do comerciante de escravos do século 17, Edward Colston, e a rolaram pelas ruas antes de despejar no rio Avon.
Naquele mesmo mês, um conselho anunciou que removeria uma estátua do fundador do Escoteiro, Robert Baden-Powell, seguindo o conselho da polícia de que estava em uma “lista de alvos para ataque”. Os críticos de Baden-Powell dizem que ele tinha opiniões homofóbicas e racistas.
Com uma história colonial de séculos – e uma mania por erguer estátuas no século 19 – as cidades britânicas são pontilhadas por monumentos de figuras como Colston e Baden-Powell. O prefeito de Londres, Sadiq Khan, anunciou uma comissão em junho de 2020 para examinar o futuro dos marcos na capital do Reino Unido, incluindo murais, arte de rua, nomes de ruas e estátuas.
A Comissão para a Diversidade no Reino Público tem como objetivo melhorar a “diversidade no domínio público de Londres, para garantir que os marcos da capital reflitam adequadamente as conquistas e a diversidade de Londres”. Este ano, a Comissão anunciou que iria criar um fundo de £ 1 milhão para criar novos marcos em Londres que “refletissem melhor a diversidade da capital e as realizações de todos que contribuíram para o sucesso da cidade.”
O estudo da Art UK é a primeira auditoria abrangente dos monumentos públicos de Londres e será usado para informar o trabalho da Comissão.


Veja também
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Motorista deixa carro Tesla no piloto automático e dorme em rodovia de SP
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Lago Superior: a melhor onda de água doce do mundo?