Negócios

Locar diz que balsa que presta serviço à P-71 está sujeita à avaliação

A Locar, prestadora de serviços para a Petrobras, informa que a balsa envolvida no acidente marítimo envolvendo dois módulos da plataforma P-71 da Petrobras, a Locar V, encontra-se “emborcada e flutuando, sujeita à avaliação”.

Em nota de esclarecimento à imprensa, a Locar Guindastes e Transportes Intermodais afirma que foi contratada para fornecimento da balsa, transporte dos módulos em terra (loadout) e arranjo, fixação e peação (seafasting) à embarcação, e que “todos os projetos, serviços e locações de seu escopo contratual foram realizados sob supervisão e aprovados por empresa certificadora”.

Ainda de acordo com a nota, sua atuação no transporte dos módulos restringia-se aos serviços de engenharia do loadout, do seafasting e da movimentação até as balsas e, “após a conclusão e a aprovação desses serviços, a balsa foi entregue a Tranship, empresa contratada para o planejamento do reboque e sua devida realização até o Estaleiro da Jurong, em Aracruz (ES)”, diz o comunicado.

O posicionamento está relacionado a acidente relatado pela Petrobras ocorrido no sábado, 18, com o naufrágio de dois módulos da plataforma P-71.

Em comunicado ao mercado, a companhia diz que análises preliminares indicam que é possível mitigar o efeito na obra de construção e montagem da unidade, e que “está envidando todos os esforços necessários para que não haja atraso na data prevista de entrada em operação da plataforma P-71, tampouco perda de receita para o Consórcio.”

A Petrobras é operadora do Consórcio do BM-S-11. O acidente foi na noite de sábado próximo a Itajaí (SC), e não deixou feridos. Ainda segundo a petroleira, além de constatar que dois módulos de geração de energia naufragaram, a estatal esclarece que está realizando trabalhos de inspeção da balsa Locar V.