Lis Cereja colocou os vinhos naturais na pauta

Lis Cereja colocou os vinhos naturais na pauta

Lis Cereja é a fundadora da Enoteca Saint Vin Saint e cocriadora da feira de vinhos Naturebas

Dez anos atrás, a Enoteca Saint Vin Saint nasceu do sonho de Lis Cereja de ter um wine bar com vinhos naturebas. A importação não deu certo, mas o pequeno e aconchegante restaurante abriu já com vários vinhos brasileiros na carta. Surpreendeu. Dois ou três anos depois, Lis ousou um pouco mais e decidiu só servir vinhos naturais, orgânicos ou biodinâmicos (e também tirou os refrigerantes do cardápio que, definitivamente, não combinam com a filosofia da casa). Não demorou para a enoteca se tornar o ponto de encontro para quem quer provar estes vinhos de tanta personalidade.

Mas o grande trabalho de Lis e, aí já em parceria com o seu marido Ramatis Russo, foi criar (e acreditar) em uma feira de vinhos orgânicos e biodinâmicos no Brasil. O evento nasceu pequeno, realizado dentro do próprio restaurante, batizado de Naturebas. Desde o início, o Naturebas apostou nos produtores brasileiros: Marina Santos, da hoje badalada Vinha Unna, foi descoberta do evento, e Lizete Vicari e Eduardo Zenker ganharam visibilidade no Naturebas. Dos estrangeiros, Vasco Croft, do Afros, Federico Orsi, do Vigneto San Vito e Mateja Gravner, filha de Josko Gravner, são alguns dos produtores que já passaram pela feira. As importadoras que têm estes vinhos em seu catálogo aproveitam para mostrar as novas safras em cada edição.

Não demorou para o Naturebas crescer e precisar mudar para um espaço maior. Acompanhou (ou liderou) o movimento de consumidores a procura de uma bebida (e também uma comida e um estilo de vida) sem tantos produtos químicos, mais naturais. Hoje, Lis consegue ter um cardápio sazonal, em que só entra produto orgânico. Na Enoteca também é possível comprar os rótulos de vinhos “naturebas”, principalmente os brasileiros, tão difíceis de encontrar distribuição por aqui.

Desde o final do ano passado, ela começou uma série de cursos sobre vinhos naturais e laranjas (aqueles brancos fermentados com as cascas, muitos deles em ânforas). Novidades certamente virão por aí.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel


Sobre o autor

Suzana Barelli, editora de vinhos da Revista Menu, é uma jornalista especializada em vinhos


Mais colunas e blogs


Mais posts

Feira Naturebas reúne vinhos orgânicos, biodinâmicos e naturais em SP

A feira de vinhos orgânicos, biodinâmicos e naturais traz a sustentabilidade emtodas as suas etapas. Evento inicia neste fim de semana [...]

Por que o vinho entrou na pauta econômica?

Além das discussões sobre a substituição tributária, a bebida é tema do acordo bilateral entre Mercosul e União Europeia

Um vinho brasileiro natural em Nova York

Luiz Henrique Zanini apresenta o seu vinho “laranja” Era dos Ventos Peverella

Uma semana para provar vinhos

A Pró-Vinho promove a primeira edição da Semana do Vinho, quando haverá diversas promoções da bebida em todo o Brasil

A importância crescente do enoturismo

A francesa Alice Tourbier, do Les Sources de Caudalie, é o principal destaque do Invino Wine Travel Summit, que acontece nesta [...]
Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.