Meio ambiente

Líderes defendem ação pelo clima no âmbito da assembleia da ONU

Líderes defendem ação pelo clima no âmbito da assembleia da ONU

Uma mulher exibe um cartaz na cabeça onde se lê: "Não neguem as mudanças climáticas", em San Francisco em 8 de setembro de 2018 - AFP/Arquivos

Vários chefes de Estado e de governo deram início, nesta segunda-feira, à “Semana do Clima”, realizada a cada ano paralelamente à Assembleia Geral da ONU, com o objetivo de recordar aos líderes mundiais a urgência de agir para reduzir o aquecimento global.

Antes da cúpula climática COP24 em dezembro na Polônia, Patricia Espinosa, chefe das negociações climáticas da ONU, instou os países a intensificarem esforços para atingir o objetivo de limitar o aquecimento global abaixo de 2°C, que haviam fixado como máximo no acordo de Paris de 2015.

“Os países não estão à altura das promessas” feitas em Paris, lamentou Espinosa, sem mencionar o governo Trump, que se retirou desse acordo em junho de 2017.

“Os compromissos que assumiram até agora elevariam a temperatura do planeta em aproximadamente 3° até 2100”.

As recentes negociações em Bangcoc não permitiram “avanços suficientes” para implementar o acordo de Paris, lamentou, “de modo que temos que trabalhar mais duro que nunca entre agora e a COP24 para terminar o trabalho”.

Depois da recente conferência climática em San Francisco, o governador da Califórnia, Jerry Brown – cujo estado liderou a vanguarda da luta contra o aquecimento global desde o distanciamento de Washington -, também instou a agir e convidou as empresas de tecnologia a investirem fortemente em energias renováveis.

“O problema com as mudanças climáticas é que implicam transformar toda a economia”, disse. “O investimento tecnológico é chave, e necessitamos investimentos de grandes empresas”.

Hilda Heine, presidente das Ilhas Marshall, um país cuja existência é ameaçada pelo aumento do nível da água devido ao aquecimento, anunciou o lançamento oficial de um plano estratégico nacional para atingir zero emissões até 2050.

“Somos o décimo país e a primeira nação insular” a lançar uma estratégia deste tipo, afirmou. “Se nós podemos fazer isso, vocês também podem”, disse a uma audiência com representantes de dezenas de países.

A Semana do Clima, organizada pela ONG The Climate Group em associação com a ONU e a cidade de Nova York, se encontra em sua décima edição.

Cerca de 150 eventos estão previstos para este ano, incluindo a cúpula One Planet que acontecerá na quarta-feira, impulsada pelo filantropo bilionário Michael Bloomberg e pelo presidente francês, Emmanuel Macron, e um grande número de eventos culturais como o festival Global Citizen, no qual participarão Janet Jackson, The Weeknd e Cardi B, entre outros.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?