Política

Leilões da Lava Jato já renderam R$ 76 milhões


As forças-tarefa da Operação Lava Jato, sediadas em Curitiba e no Rio de Janeiro, recuperaram pelo menos R$ 76 milhões por meio de leilões de bens apreendidos nos últimos anos. A quantia estava diluída em casas, carros, apartamentos, entre outros itens luxuosos.

O levantamento dos dados foi feito e publicado pelo jornal O Globo, indicando que os executivos e políticos presos pela operação nos últimos anos lavavam dinheiro de propina através dos artigos, posteriormente leiloados após condenação judicial. Tal quantia é referente a 135 leilões realizados pela operação nos dois Estados.

Apenas do doleiro Alberto Youseff, um dos primeiros presos pela força-tarefa de Curitiba, foram arrematados R$ 14 milhões em mais de 80 imóveis.

Uma mansão em Mangaratiba, pertencente ao ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, foi vendida por R$ 6,4 milhões, comprada por um empresário anônimo com 20% de desconto.  A redução no valor do bem foi uma forma encontrada pela operação para conseguir desencalhar leilões com baixa procura.

Segundo o jornal, o leilão mais caro foi feito no valor de R$ 14 milhões. Tratava-se de um iate, o “Spirit of Brazil VIII”, do empresário Eike Batista.