Semana

Lava Jato denuncia Lula e irmão por corrupção

Crédito: AFP Photo / Miguel Schincariol

Justiça

O ex-presidente Lula vai enfrentar mais um processo, sob acusação de corrupção. E, dessa vez, vai levar um irmão com ele. A força-tarefa da Lava Jato em São Paulo denunciou, na segunda-feira 9, Lula e seu irmão Frei Chico pelo crime de corrupção passiva continuada. Sindicalista ligado ao Partido Comunista, Frei Chico é acusado de embolsar mais de R$ 1 milhão em mesadas. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a propina foi paga pela Odebrecht. Os donos da companhia — Emílio e Marcelo Odebrecht —, além de um ex-diretor, também foram denunciados, por corrupção ativa continuada. A investigação apurou que Frei Chico recebeu o dinheiro entre os anos de 2003 e 2015, período que inclui os 8 anos do governo Lula e quase todo o mandato da ex-presidente Dilma Rousseff, ambos do PT. O MPF afirma, ainda, que o esquema fazia parte de um “pacote de vantagens” que Lula recebia da construtora. Em troca, o ex-presidente (há quase um ano e meio preso por corrupção passiva e lavagem de dinheiro) garantia “benefícios diversos, obtidos pela Odebrecht junto ao governo federal”. Lula mandava a companhia repassar parte da propina a Frei Chico. Família unida é outra coisa.

 

Negócio

Startup Quinto Andar é o mais novo unicórnio brasileiro

O Brasil acaba de ganhar mais um unicórnio, como são conhecidas as empresas nascidas no ambiente digital e que superam US$ 1 bilhão em valor de mercado. Foi o que aconteceu com a startup Quinto Andar, na terça-feira 10. A companhia que atua conectando inquilinos e proprietários de imóveis, sem intermediários, e está presente em mais de 30 cidades do País, recebeu investimentos de US$ 250 milhões. Além de receber recursos do conglomerado SoftBank, do Japão, que liderou a rodada de aportes, o fundo de investimentos Dragoneer, dos Estados Unidos, entrará com parte do dinheiro. Criada há pouco mais de 6 anos, a startup tem atualmente cerca de 1 mil funcionários e fecha quase 5 mil contratos a cada mês.

 

Aviação

Falência da Avianca é rejeitada pelo TJ de São Paulo

Na terça-feira 10, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP) decidiu, por três votos a dois, não decretar a falência da Avianca Brasil. Com isso, o plano de recuperação judicial da companhia aérea continua em vigor. Para chegar à decisão, os magistrados do TJSP realizaram, ao todo, três sessões na 2a Câmara de Direito Empresarial. Até o desembargador Sérgio Shimura, que se mostrava a favor da falência, votou contra o processo. Em sua decisão, Shimura destacou que nenhum dos credores da Avianca havia pedido a falência da empresa e afirmou que manter o plano de recuperação seria a “solução menos traumática”.

 

Esportes

União cobra R$ 570 milhões do Corinthians

Dentro de campo, as coisas não estão mal para o Corinthians, que pode encerrar o primeiro turno do Campeonato Brasileiro na quarta posição. Na contabilidade, no entanto, a bola do time está bem murcha. A Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) está cobrando uma dívida de quase R$ 570 milhões do clube paulista. O valor é referente a débitos de origem tributária, como Imposto de Renda, Contribuição Social sobre o Lucro Líquido, PIS e Cofins. A PGFN não divulgou a data nem a origem das cobranças. O que se sabe é que a receita líquida oficial do clube no ano passado foi de R$ 446 milhões— menos do que o valor cobrado pela União. Jogar bola é fácil. Difícil é pagar as contas — e os tributos — em dia.

 

Indústria

Investimentos da GM não impedem demissões

O Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano do Sul (SP) divulgou nota afirmando que a GM demitiu ao menos 185 engenheiros de suas unidades de São Paulo. A companhia não confirmou o número de demitidos, mas admitiu que abriu um Plano de Demissão Voluntária (PDV) “para algumas áreas funcionais alocadas no Complexo de São Caetano do Sul”. Segundo a GM, o processo tem o “objetivo de ajustar a estrutura às necessidades do negócio”. No início deste ano, a montadora cogitou encerrar suas operações no Brasil. Só mudou de ideia depois que o governador de São Paulo, João Doria, anunciou um plano de incentivos fiscais, concedendo descontos de até 25% no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para montadoras que investissem no estado. Foi quando a GM anunciou aporte de R$ 10 bilhões no País, nos próximos quatro anos. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos, além das 125 demissões na fábrica de São Caetano, houve mais 60 cortes na planta de Indaiatuba (SP), onde os funcionários teriam se negado a participar do PDV.

 

“Por vias democráticas, a transformação que o Brasil quer não acontecerá”
Carlos Bolsonaro (à esq.), vereador do Rio de Janeiro e filho do presidente Bolsonaro

“Eu preferia nem comentar esse assunto. É uma declaração que não cabe num país democrático”
Rodrigo Maia (à dir.), presidente da Câmara dos Deputados, em resposta a Carlos Bolsonaro

 

Números

US$ 1 bilhão – Foi o valor movimentado numa única transação em Bitcoin (94.500 unidades da moeda digital). A operação tornou o receptor da fortuna a pessoa mais rica do mundo das criptomoedas.

0,4% – É a taxa que o governo federal pretende cobrar de imposto para saques e depósitos em dinheiro, o que seria a nova CPMF e que faz parte da reforma tributária de Bolsonaro

7,3% – Foi a queda registrada na produção de veículos em agosto, em todo o País, em relação ao mesmo período do ano passado. Ao todo, foram fabricadas 270 mil unidades

R$ 50 milhões – É o valor que, segundo a Lava Jato, Márcio Lobão, filho do ex-ministro Edison Lobão, recebeu em propinas da construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. Márcio foi preso na terça-feira 10