Economia

Lançamentos de imóveis crescem 23,9% e vendas sobem 1,9% no 1º tri, diz pesquisa

Os lançamentos e vendas de imóveis cresceram no primeiro trimestre no País, de acordo com pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) feita em parceria com a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) e antecipada ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

No acumulado de janeiro a março, os lançamentos totalizaram 18.1811 unidades, apontando um acréscimo de 23,9% frente ao mesmo período do ano passado. Em 12 meses, os lançamentos somaram 113.620 unidades, desempenho 34% superior ao informado nos 12 meses anteriores.

Somente em março foram lançadas 13.144 unidades – praticamente o dobro do lançado no mesmo mês do ano anterior (6.458 unidades). Em termos absolutos, segundo a Abrainc, os comparativos trimestrais refletem melhor as tendências do mercado que os mensais.

Vendas

Já as vendas totalizaram 26.729 unidades no acumulado de janeiro a março deste ano, com expansão de 1,9% em relação ao reportado em igual período do ano anterior. Em 12 meses foram vendidas 115.625 unidades, representando alta de 2,5% em relação aos 12 meses anteriores. Em março, as vendas de imóveis novos totalizaram 11.562 unidades, ante 7.401 unidades vendidas em março do ano passado.

Em nota, a associação destaca também a queda expressiva na relação entre distratos e vendas. Esse indicador encerrou os últimos 12 meses em 21,2%, em razão do declínio de 25,6% no volume de unidades distratadas e ao aumento das vendas no período.

O desempenho implica em uma queda de 8 pontos em relação à média calculada para os 12 meses precedentes (29,2%), e uma redução de 21,8 pontos em comparação à média de 2016, ano em que a relação distratos-vendas atingiu o patamar recorde de 42,6%.

Segmento e participação

Considerando somente os segmentos residenciais, que incluem empreendimentos de Médio e Alto Padrão (MAP) e empreendimentos classificados no programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), os lançamentos avançaram 37% e as vendas 3,2% nos últimos 12 meses.

Em termos de participação, a maior parte dos lançamentos residenciais (79%) e das vendas residenciais (70,7%) realizadas nos últimos 12 meses correspondeu a unidades comercializadas no âmbito do MCMV, ao passo que os empreendimentos MAP foram responsáveis por 21% das unidades residenciais lançadas e 29,3% das unidades residenciais vendidas.

Estoque

No fim de março, o mercado imobiliário contava com 120.539 unidades novas disponíveis para venda, montante praticamente estável (+0,3%) em relação ao registrado um ano antes. Considerando o ritmo atual de vendas, seriam necessários 16,7 meses para liquidar esse estoque.

Os dados da pesquisa abrangem imóveis novos (na planta, em obras e recém-construídos) dos segmentos residencial, comercial e loteamentos, desenvolvidos por 20 empresas associadas à Abrainc, com atuação espalhada pelo País e concentração na Região Sudeste.