Economia

Laboratório Johnson & Johnson anuncia plano de se dividir em dois

Crédito: Arquivo/AFP

Isso implicará a criação de "dois líderes mundiais que estarão mais bem posicionados para oferecer melhores resultados de saúde para pacientes e consumidores por meio da inovação" (Crédito: Arquivo/AFP)

O laboratório americano Johnson & Johnson anunciou, nesta sexta-feira (12), planos de se dividir em duas entidades, transformando seu ramo de produtos de higiene e de medicamentos sem prescrição médica em uma empresa separada.

Isso implicará a criação de “dois líderes mundiais que estarão mais bem posicionados para oferecer melhores resultados de saúde para pacientes e consumidores por meio da inovação”, disse a J&J em um comunicado.



Esta a terceira grande empresa que anuncia, esta semana, um plano para dividir seu negócio, depois da General Electric e da Toshiba.

+Johnson & Johnson lucra mais que o esperado no 3º trimestre
+Johnson & Johnson garante eficácia maior se a imunização completa for com duas doses

A J&J planeja concluir sua separação no período de 18 a 24 meses, criando duas empresas diferentes de capital aberto.

+ Especialista revela o segredo dos bilionários da bolsa. Inscreva-se agora e aprenda!



De acordo com seu diretor-executivo, Alex Gorsky, disse que a decisão foi tomada após uma “avaliação integral”.

O conselho e a gerência consideram que a divisão é “a melhor maneira de acelerar nossos esforços para atender pacientes, consumidores e profissionais de saúde, criar oportunidades para nossa talentosa equipe global, crescimento com benefícios e – o mais importante – melhorar os resultados dos cuidados de saúde para as pessoas ao redor do mundo”, afirmou ele.

Gorsky acrescentou que a separação “destaca nosso foco em proporcionar inovações-líderes na indústria do setor biofarmacêutico e de equipamentos médicos, com o objetivo de trazer, para o mercado, novas soluções para pacientes e sistemas de saúde, enquanto se cria um valor sustentável para os acionistas”.

A empresa disse ainda que seus 136.000 funcionários em todo mundo “continuarão sendo a espinha dorsal deste negócio”.