“La vie en rose” na Provença

“La vie en rose” na Provença

Os rosés nunca foram muito apreciados pelos fãs de vinho, mas isso é um erro. A vinícola Domaines Ott, na Provença, sul da França, faz alguns dos melhores rosados do planeta desde 1896, sempre acondicionados numa icônica garrafa personalizada e criada exclusivamente para a casa em 1926. Os apaixonados pelo rosé provençal terão uma oportunidade única de experimentá-lo no próprio vinhedo da Domaines Ott em pacote oferecido pelo Grand-Hotel du Cap-Ferrat, na Riviera Francesa, pertencente à rede Four Seasons. Os hóspedes serão levados de limusine a Mônaco e de lá transportados de helicóptero até a propriedade de 140 hectares que fica no Château de Selle, a meio caminho entre Nice e Marselha. Além de apreciar a bebida, os hóspedes aprenderão o ciclo da vinicultura com especialistas. O passeio, que inclui um almoço preparado pelo chef Yoric Tièche, especializado na gastronomia da Provença, curta 3,6 mil euros por dia, para duas pessoas.

(Nota publicada na Edição 1098 da Revista Dinheiro)

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago




Sobre o autor

Luciana Lancellotti é editora de Estilo da DINHEIRO


Mais colunas e blogs


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.