Negócios

Kepler Weber tem lucro líquido de R$ 15,2 milhões no 2º trimestre

A Kepler Weber, líder no mercado de equipamentos para armazenagem, registrou lucro líquido de R$ 15,2 milhões no segundo trimestre de 2020. Há um ano, a companhia teve prejuízo líquido de R$ 3,5 milhões, conforme balanço divulgado na quinta-feira, 13, após o fechamento do mercado.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) somou R$ 23,4 milhões, 99,9% acima do apurado em igual intervalo de 2019. O Ebitda ajustado (Ebitda menos eventos não recorrentes) foi de R$ 7,4 milhões no segundo trimestre deste ano, 47,6% menor na comparação anual.

A receita líquida da companhia atingiu R$ 94 milhões no segundo trimestre de 2020, 19,7% a menos do que no período correspondente do ano passado.

No acumulado de 2020, a receita líquida somou R$ 221,5 milhões, 13% abaixo do apurado no primeiro semestre de 2019.

O lucro líquido no período chegou a R$ 23,9 milhões, ante R$ 600 mil um ano antes. O Ebitda no primeiro semestre de 2020, de R$ 40,9 milhões, superou em 51,4% o resultado de igual intervalo de 2019. Já o Ebitda ajustado no período, de R$ 24,8 milhões, recuou 27,7% na comparação anual.

Conforme a Kepler, os resultados do segundo trimestre continuaram sendo prejudicados pelo desempenho da empresa no segmento de armazenagem e pelo esgotamento dos recursos do PCA (Programa para Construção e Ampliação de Armazéns), do governo federal.

“Além disso, a decisão da companhia de suspender as atividades fabris nas plantas de Panambi (RS) e Campo Grande (MS) por três semanas, concedendo férias coletivas aos colaboradores como medida preventiva para evitar a disseminação do coronavírus e adequar as plantas aos novos protocolos de distanciamento, reduziu o faturamento do período”, informou a empresa no release de resultados.

A receita líquida do segmento de armazenagem da Kepler Weber no segundo trimestre de 2020 recuou 25,7% ante igual período de 2019, para R$ 58,7 milhões; a do segmento de exportações caiu 15,2%, para R$ 13,4 milhões; a de granéis diminuiu 60,1%, para R$ 3,1 milhões, enquanto a de peças e serviços aumentou 29%, para R$ 18,9 milhões.

“A cadeia produtiva do agronegócio continua produzindo e distribuindo alimentos e estamos confiantes de que o agronegócio será o propulsor socioeconômico da retomada brasileira. Para atender à demanda crescente por alimentos e equipamentos relacionados ao segmento, a companhia possui um plano robusto de inovação em produtos e serviços, além de um balanço sólido e consistente”, afirmou a Kepler no documento.

Segundo a empresa, o caixa no segundo trimestre chegou a R$ 143,5 milhões, 69,1% acima de igual intervalo do ano anterior.

Veja também

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+Conheça os 42 anos de história da picape Mitsubishi L200

+ Remédio barato acelera recuperação de pacientes com covid-19

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?