Finanças

Juros rondam estabilidade, com viés de alta, após varejo acima do previsto

Os juros futuros operam ao redor da estabilidade na manhã desta quarta-feira, 11, com viés de alta, sinalizando que as vendas no varejo de julho acima do teto das previsões não devem alterar as apostas de mais um corte de 50 pontos-base da Selic na semana que vem, para 5,5% ao ano, segundo operadores de renda fixa. As vendas do comércio varejista subiu 1,0% em julho ante junho, na série com ajuste sazonal, acima do teto do intervalo das estimativas do Projeções Broadcast (-1,70% a 0,80%).

Às 9h20, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2020, que capta melhor os próximos passos do Copom, estava em 5,305%, de 5,302% no ajuste anterior.

O DI para janeiro de 2021 exibia 5,36%, de 5,34% no ajuste anterior. O vencimento para janeiro de 2023 marcava 6,46%, na máxima, de 6,45%, enquanto o DI para janeiro de 2025 exibia 7,02%, de 7,01% no ajuste anterior.

Na máxima, o dólar à vista subia 0,02%, a R$ 4,0995.

Tópicos

taxas de juros