Finanças

Juros oscilam em baixa após IPCA mas reduzem ritmo após dado de emprego nos EUA

As taxas de juros negociadas no mercado futuro oscilam em queda em todos os vencimentos, mesmo após o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de novembro ter indicado inflação de 0,51%, porcentual superior à mediana das estimativas do mercado, de 0,47%. A leitura nas mesas de negociação é que o dado ligeiramente acima do esperado não chegou a significar surpresa, ameaçando a percepção de controle da inflação.

Assim, as taxas são ajustadas para baixo, em sintonia com o dólar comportado e o sentimento de melhora da economia nacional.

No noticiário internacional, destaque nos últimos minutos para os dados do relatório de emprego dos Estados Unidos em novembro. Segundo o Departamento do Trabalho americano, foram criadas 266 mil vagas de trabalho nesse período, valor bem acima da média das estimativas, de 183 mil postos. Em outubro, o número de vagas criadas foi de 128 mil.

O dado mais forte da economia americana fortaleceu o dólar, o que reduziu o ritmo de baixa das taxas negociadas no mercado futuro.

Às 10h32, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2021 tinha taxa de 4,66%, ante 4,69% do ajuste de ontem. O DI para janeiro de 2023 projetava 5,82%, de 5,85% do ajuste anterior. O vencimento de janeiro de 2025 tinha taxa de 6,40%, contra 6,44% da véspera.

Tópicos

taxas de juros