Finanças

juros: após queda na 6ªF, taxas médias e longas têm viés de alta com dólar forte


Os juros futuros apresentam oscilações modestas na manhã desta segunda-feira, 17, em dia de agenda fraca e com o feriado nos Estados Unidos devendo comprometer a liquidez. Pouco depois das 9h30, no entanto, o viés era de alta nos médios e longos, em linha com o dólar e após terem tido queda firme na sexta-feira em meio às preocupações com o ritmo da atividade doméstica com a divulgação do da queda de 0,27% do IBC-Br em dezembro.

Na pesquisa Focus divulgada nesta segunda, as projeções do mercado para o PIB brasileiro caíram de 2,30% para 2,23% e para 2021 seguiram em 2,50%. Há quatro semanas, a estimativa de alta era de 2,31%. Os curtos operavam estáveis diante da precificação de 100% de chance de Selic estável em 4,25% em março.

Às 9h40, a taxa de depósito interfinanceiro para janeiro de 2021 operava estável a 4,23%, enquanto o DI para janeiro de 2022 marcava 4,74%, de 4,73% no ajuste de sexta-feira. O DI para janeiro de 2025 exibia 5,98%, de 5,96% no ajuste anterior.

Tópicos

taxas de juros