Giro

Juízes devem pedir reajuste de 5% a Fux se Bolsonaro der aumento a servidores civis e militares

Crédito: Rosinei Coutinho / STF

Juízes devem pedir reajuste de 5% a Fux (Crédito: Rosinei Coutinho / STF)



A queda de braço entre servidores públicos federais e o Executivo por reajuste salarial pode se estender ao Poder Judiciário, num impasse entre juízes federais e a presidência do Supremo Tribunal Federal (STF). A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) deve recorrer ao presidente da Suprema Corte, Luiz Fux, em busca de um projeto que garanta aumento aos magistrados neste ano, caso o presidente Jair Bolsonaro (PL) de fato cumpra a promessa de reajuste de 5% para servidores civis e militares a partir de julho.

Segundo o presidente da Ajufe, Eduardo Fernandes, caso a categoria considerasse o critério que determina a recomposição pela inflação a cada ano, a defasagem dos salários dos juízes estaria atualmente na casa dos 49%, com base em estimativas desde 2006.

A associação, contudo, descarta levar essa demanda ao presidente do Supremo. Em conversa com jornalistas na manhã desta terça-feira,19, a diretoria da entidade disse trabalhar com a possibilidade de reajuste de 5%, nos mesmos termos do Executivo, embora não considere o valor satisfatório e ainda estude a apresentação de um pedido formal a Fux.

Lira admite risco de aumento no valor do Auxílio Brasil em votação de MP na Câmara



Atualmente, a despesa média mensal por juiz para os cofres públicos, incluindo salário, indenizações, encargos e impostos de renda e despesas como passagens aéreas e diárias, é de R$ 48,2 mil, segundo dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

No Supremo, interlocutores de Fux garantem estar descartada a possibilidade de um projeto de lei para conceder aumento salarial aos juízes ainda este ano. Um dos motivos para a cúpula do tribunal engavetar essa ideia seria a necessidade de os ministros aumentarem os próprios salários (hoje, em R$ 39,3 mil mensais) para que os magistrados de instâncias inferiores também passassem a ganhar mais.

Em contrapartida, ainda existiria a possibilidade de servidores da Justiça serem beneficiados por um aumento, seguindo a lógica de confirmação do reajuste para o Executivo. Os juízes também trabalham com um plano B: a PEC do quinquênio em tramitação na Câmara.


A Proposta de Emenda à Constituição estabelece aos magistrados da União e aos integrantes do Ministério Público uma adicional de 5% do salário a cada cinco anos. A verba indenizatória é cobiçada por juízes e procuradores, que passariam a receber o adicional acima do teto constitucional, de R$ 39,3 mil mensais.

Como o quinquênio funciona como uma espécie de aumento salarial, mesmo que não seja incluído formalmente na remuneração-base, a pressão geral dos magistrados e procuradores por reajuste poderia diminuir. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), já defendeu a proposta e disse que as carreiras do Judiciário são como “qualquer outra”, apesar dos benefícios dados a esses profissionais, como auxílio-moradia e férias de 60 dias.

Na última segunda-feira, 18, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, se reuniu com policiais para acalmar os ânimos em torno do reajuste de 5% prometido para todas as categorias do funcionalismo público federal. Aos agentes, Torres disse que o acordo sobre aumento ainda não foi fechado, o que abriria uma brecha para a reestruturação das carreiras da segurança pública. A pressão também se espalhou para outras áreas carreiras, incluindo servidores do Banco Central, que estão em greve desde o dia 1º de abril, da Receita Federal, do Tesouro Nacional, da Controladoria-Geral da União, entre outras.






Tópicos

acordo sobre aumento Ajufe anderson torres Associação dos Juízes Federais do Brasil aumento a servidores aumento a servidores civis e militares aumento aos magistrados aumento salarial aumento salarial aos juízes auxílio-moradia benefícios Bolsonaro carreiras do Judiciário CNJ confirmação do reajuste Conselho Nacional de Justiça CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO cúpula do tribunal defasagem dos salários dos juízes despesa média mensal por juiz para os cofres públicos despesas diárias Eduardo Fernandes encargos executivo férias funcionalismo público federal Fux impostos de renda indenizações inflação Jair Bolsonaro juízes juízes federais Luiz Fux magistrados magistrados da União magistrados de instâncias inferiores militares Ministério Público ministro da Justiça e Segurança Pública ministros aumentarem os próprios salários passagens aéreas poder judiciário policiais presidência presidência do Supremo Tribunal Federal presidente presidente da Ajufe presidente da Suprema Corte presidente do Senado presidente do Supremo presidente Jair Bolsonaro pressão geral dos magistrados procuradores projeto de lei Proposta de Emenda à Constituição queda de braço reajuste reajuste de 5% reajuste de 5% para servidores civis reajuste salarial Receita Federal reestruturação das carreiras da segurança pública remuneração-base Rodrigo Pacheco salário salários dos juízes servidores servidores civis Servidores da Justiça Servidores do Banco Central servidores públicos federais STF Supremo Supremo Tribunal Federal Tesouro Nacional teto constitucional valor satisfatório verba indenizatória