Giro

Juiz decide impedir que pai não vacinado tenha acesso ao filho no Canadá

Crédito: Reprodução/Pixabay

O município canadense anunciou no início desta semana que imporia um imposto sobre os residentes que não são vacinados contra a covid-19.  (Crédito: Reprodução/Pixabay)

Um canadense que não estava vacinado contra a covid-19 perdeu temporariamente o direito de ver seu filho de 12 anos. Segundo a emissora estatal britânica BBC, um juiz decidiu que as visitas não seriam o “melhor para o interesse” da criança. A decisão veio após o homem ter pedido que seu tempo com o filho fosse estendido durante as férias.

+ Agressão a deputado por antivacinas revolta políticos na França



O julgamento é o primeiro a privar um pai do direito de visita por motivos de imunização, revela a emissora britânica. A decisão do juiz, tomada no final do mês passado na província de Quebec, no Canadá, suspende os direitos de visitação do pai até fevereiro, a menos que ele decida se vacinar.

A mãe, que se opôs ao pedido inicial do pai para estender o tempo de visitação, disse ao tribunal que descobriu recentemente que ele não estava vacinado, usando suas postagens nas redes sociais para mostrar que ele se opunha às vacinas. A canadense mora com o companheiro e outras duas crianças que são muito pequenas para serem vacinadas.

O juiz disse que não era “do melhor interesse da criança ter contato com o pai” devido ao recente aumento de casos de Covid em Quebec, de acordo com a BBC.

+ Confira 10 receitas para reaproveitar ou turbinar o arroz do dia a dia


A província, que registrou o maior número de mortes relacionadas ao coronavírus no Canadá, anunciou no início desta semana que imporia um imposto sobre os residentes que não são vacinados contra a covid-19.