Mundo

Joe Biden: o senador e ex-vice presidente que conquistou a Casa Branca

Crédito: Reprodução/Joebiden.com

Vitorioso em todas as disputas que entrou até hoje, Biden se tornou o 47º presidente dos EUA com recorde de votos, superando Obama, em 2008. (Crédito: Reprodução/Joebiden.com)



Nome completo:             Joseph Robinette Biden Jr.
Ocupação:                         Advogado e político. Foi senador e vice-presidente dos Estados Unidos.
Partido político:               Democrata
Local de Nascimento:     Scranton, Estados Unidos
Data de Nascimento:      20 de novembro de 1942

 

O novo presidente dos Estados Unidos possui uma longa carreira na política. Mas começou quase por um acaso. Formado em Direito, Joe Biden conseguiu emprego em um escritório de um político democrata, que o incentivou a se filiar ao partido.

Conquistou, já em sua primeira tentativa, o equivalente à Assembleia Legislativa do Estado de Delaware. Dois anos depois, com discurso de mudança, Biden buscou uma vaga no Senado desafiando um candidato apoiado pelo presidente Richard Nixon.




Joe Biden senador por Delaware / Reprodução/Joebiden.com (Crédito:Reprodução/Joebiden.com)

Sem dinheiro e estrutura, foi no corpo a corpo conversar com eleitores na rua. Ganhou a vaga no senado, a primeira de sete vitórias consecutivas entre 1972 e 2008, quando ele deixou o Senado para ser vice-presidente durante o governo de Barack Obama.

Como senador, Biden ficou marcado pela grande capacidade de negociar com seu partido e a oposição. Mas ele também se envolveu em polêmicas ao se posicionar contra pautas progressistas e a favor de guerras – posições das quais ele se arrependeria depois.

Biografia


Joe Biden é o filho mais velho de quatro irmãos. Logo na infância, descobriu um problema contra o qual lutaria ao longo de toda sua vida: ele tinha dificuldades na fala e gaguejava. Em 1964, durante uma viagem para as Bahamas, conheceu Neilia Hunter, com quem se casaria dois anos depois.

Mais velho de quatro irmãos
Mais velho de quatro irmãos / Reprodução/Joebiden.com (Crédito:Reprodução/Joebiden.com)

Poucas semanas antes de assumir o cargo como senador, sua esposa sofreu um acidente de carro. Neilia e Naomi, que tinha um ano de idade, morreram no acidente. Os outros dois filhos, Hunter e Beau, sobreviveram com ferimentos.

Cinco anos após a tragédia, Biden se casou novamente com Jill Tracy, professora e doutora em Educação. Os dois se conheceram em um encontro às cegas marcado pelo irmão de Joe. Segundo Biden, Jill renovou sua paixão pela vida e pela política. Juntos, eles têm uma filha, Ashley, nascida em 1981.

Jill Jacobs, segunda esposa / Reprodução/Joebiden.com (Crédito:Reprodução/Joebiden.com)

Em 2015, Biden enfrentaria outra tragédia familiar: a morte de seu filho mais velho, Beau, após uma longa batalha contra um câncer no cérebro.

Beau Biden, filho mais velho de Joe / Reprodução/Joebiden.com (Crédito:Reprodução/Joebiden.com)

Nos seus 36 anos no Senado americano, como costuma dizer, ele “evoluiu”. Biden diz se arrepender de algumas de suas opiniões e votos passados. Em especial, por ajudar a aprovação de uma lei que aumentou o encarceramento de negros e latinos nos EUA.

Biden também se posicionou contra a presença de homossexuais no corpo militar dos EUA e a união civil entre casais do mesmo sexo, além de votar pela invasão ao Iraque e se opor à política de miscigenação das escolas públicas.

Foi no Senado que Biden criou uma carreira reconhecida no debate de política externa, defendendo que os americanos não deveriam intervir em assuntos de outras nações soberanas.

Durante os oito anos do governo Obama, entre 2009 e 2016, Biden teve uma atuação destacada como vice-presidente, assumindo o controle de grande parte do governo, a convite do presidente.

Biden e Obama / Reprodução/Joebiden.com (Crédito:Reprodução/Joebiden.com)

Em julho de 2019, Biden decidiu entrar na disputa à presidência. Logo depois, foi arrastado para o centro da disputa política do país, após o vazamento de uma conversa na qual Donald Trump pedia que o novo presidente ucraniano investigasse os negócios do filho de Joe, Hunter Biden, no Leste europeu.

Segundo Trump, havia sinais de corrupção na participação de Hunter como lobista e diretor da empresa estatal de gás da Ucrânia. As alegações nunca foram comprovadas. Em troca, o presidente americano ofereceu apoio financeiro para o exército ucraniano. Pelo caso, Trump sofreu um processo de impeachment na Câmara, mas foi absolvido no Senado.

Biden abraçou vários temas da área da ala mais progressista e à esquerda do partido, como o apoio à creche pública universal, um plano de US$ 1,7 trilhão para combater as mudanças climáticas pela descarbonização e criação de empregos “verdes” e a expansão ilimitada da saúde pública dos EUA, que passaria a ser uma opção para todos os cidadãos.

Vitorioso em todas as disputas que entrou até hoje pelo voto popular, Biden se tornou o 47º presidente dos Estados Unidos da América com recorde de votos, superando a marca anterior que pertencia ao Barack Obama, em 2008.