Jeep Compass explode nas buscas do Mercado Livre e sobe 295% em apenas um semestre

O SUV mais vendido do País rouba o lugar do Honda HR-V no ranking dos 10 carros mais procurados no varejo eletrônico

Jeep Compass explode nas buscas do Mercado Livre e sobe 295% em apenas um semestre

Jeep Compass em excelente fase: além de ser o SUV mais vendido do Brasil, teve um crescimento de 295% nas buscas do site Mercado Livre

Desde 2015 a Jeep vem tentando desbancar a Honda da liderança do segmento de SUVs. Tentou dois anos seguidos com o Renegade, mas em ambas perdeu para o HR-V. Em 2017, na terceira tentativa, dessa vez com o Compass, a Jeep conseguiu. Assim, o Jeep Compass terminou a temporada como o SUV mais vendido do Brasil, registrando 49.187 emplacamentos, contra 47.775 do Honda HR-V, segundo o ranking da Fenabrave.

Mas não é só isso. O Compass também está arrebentando quando o assunto é o varejo eletrônico. Embora ainda perca para o HR-V no varejo tradicional (42.693 emplacamentos para o Honda contra 31.009 para o Jeep), o Compass explodiu no varejo eletrônico. Por varejo eletrônico entenda a busca por carros na internet. O blog REPÚBLICA DO AUTOMÓVEL pediu ao site Mercado Livre uma pesquisa exclusiva e traz os resultados. Somente no segundo semestre do ano passado, o crescimento do Jeep Compass foi de incríveis 295%.

Com essa alta, o Compass entrou na lista dos 10 carros mais procurados no Mercado Livre, desbancando o Chevrolet Tracker, o que demonstra que é realmente o SUV mais desejado do momento, crescendo cinco posições no ranking semestral do site de compras eletrônicas.

É interessante observar que o ranking do Mercado Livre não tem o imediatismo dos levantamentos da Fenabrave, que afere os licenciamentos atuais, mas traz um reflexo da imagem positiva que um carro deixou ao longo de anos em seu segmento. Dessa forma, o Toyota SW4, o Ford EcoSport e o Hyundai Tucson ocupam as três primeiras posições nas buscas por SUVs no Mercado Livre. Isso apesar de ocuparem, atualmente, a 10ª posição, a sexta posição e a 15ª posição no ranking da Fenabrave.

A subida do Compass (ganhou cinco posições) e a queda do Tracker (perdeu uma) foram as únicas modificações registradas nas dez primeiras posições do ranking. Do 11º ao 15º lugar também houve trocas de posição. E o destaque foi a queda do HR-V. Isso não quer dizer que o carro seja ruim (é um ótimo carro e pude comprovar isso rodando quase 1.500 km com um durante as festas de Natal e Ano Novo), mas sim a tendência de procura de cada modelo e seu legado no mercado de usados. Confira abaixo o ranking do Mercado Livre.

 

POS. JAN-JUN JUL-DEZ VAR.
1 Toyota SW4 Toyota SW4 0
2 Ford EcoSport Ford EcoSport 0
3 Hyundai Tucson Hyundai Tucson 0
4 Kia Sportage Kia Sportage 0
5 Honda CR-V Honda CR-V 0
6 Hyundai Santa Fe Hyundai Santa Fe 0
7 Hyundai ix35 Hyundai ix35 0
8 Renault Duster Renault Duster 0
9 Jeep Renegade Jeep Renegade 0
10 Chevrolet Tracker Jeep Compass +5
11 Honda HR-V Chevrolet Tracker -1
12 Fiat Freemont Mitsubishi Outlander +2
13 Mitsubishi ASX Fiat Freemont -1
14 Mitsubishi Outlander Honda HR-V -3
15 Jeep Compass Mitsubihi ASX -2

 

Mais do que as trocas de posição, o que mais chamou atenção no estudo que pedimos ao site Mercado Livre foi a diferença no crescimento das buscas de cada carro. Percentualmente, os 10 SUVs que mais cresceram foram os seguintes, pela ordem: Jeep Compass (295%), Fiat Freemont (29%), Toyota SW4 (28%), Hyundai ix35 (26%), Volkswagen Tiguan (26%), Mitsubishi ASX (26%), Jeep Renegade (24%), Honda HR-V (20%), Kia Sportage (20%) e Mitsubishi Outlander (19%).

Outros modelos

Em relação aos novos hatchbacks (Renault Kwid, Fiat Argo e Volkswagen Polo) perante o campeão brasileiro de vendas (Chevrolet Onix), o Mercado Livre fez uma apuração comparativa dos meses de outubro e novembro de 2017. O Argo, com 27%, teve o maior crescimento. Em seguida aparece o Polo, com 2%. O Kwid, em função de problemas que levaram à paralisação temporária de suas vendas, caiu 1%. Já o Onix recuou 8%. São números que dão margem a interpretações para o futuro do mercado brasileiro de automóveis.

Veja também

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

Tópicos

Jeep Compass

Sobre o autor

Sergio Quintanilha é redator-chefe da revista Motor Show. Atua na imprensa automotiva desde 1989. Twitter: @QuintaSergio


Mais posts

Onix e Compass já têm mais vendas diretas do que as picapes

As vendas de automóveis no Brasil estão mudando com uma velocidade sem precedentes. Não apenas os tipos de carros são outros, mas [...]

FCA lançará três crossovers Fiat, um novo SUV da Jeep e a picape RAM no Brasil

Presidente da Fiat Chrysler Automobiles fala sobre os investimentos da empresa no País até 2022. Globalmente, a FCA investirá 45 [...]

Yaris chega competitivo e completa a estratégia da Toyota

O novo compacto premium da marca japonesa começa a ser produzido em Sorocaba e fica posicionado entre o Etios e o Corolla

Gol desaba na Argentina, mas Volkswagen ainda é líder

Crise econômica no governo Macri afeta as vendas do carro mais vendido do nosso vizinho sul-americano

Quando o carro mata, a culpa pode ser nossa

Nem sempre o veículo, a estrada ou a sinalização das ruas são os responsáveis pelos acidentes. Veja o que você pode fazer para dirigir [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.