Israel deve regular criptomoedas

Israel deve regular criptomoedas

A ISA Securities Authority (Autoridade de Valores Mobiliários de Israel) deve lançar uma plataforma de emissão de criptomoedas altamente regulada, informou a agência de notícias Reuters. Isso deve permitir que as empresas levantem dinheiro emitindo tokens digitais para investidores. Se o país seguir a recomendação é muito provável que estabeleça um precedente global quando se trata de ofertas de token de segurança. Tailândia e Liechtenstein já deram passos semelhantes, mas a maioria dos países ainda aguarda pela política a ser adotada pela SEC, dos Estados Unidos, para se movimentar.

(Nota publicada na Edição 1112 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Plataforma Kzas zera comissão até junho

Imobilizar patrimônio numa época como a atual é tarefa para quem tem excesso de liquidez. Para dar velocidade ao mercado, a plataforma [...]

Bem-vindo ao planeta dos macacos, onde nada se cria e tudo se copia

E reina a mesmice. Como é praticamente inviável analisar a internet toda e seus mais de 1 bilhão de endereços, acrescentados de páginas [...]

VR permite pagamento 100% on-line

Usar a tecnologia para atravessar a pandemia tem feito vários segmentos darem um salto no serviço oferecido. Em época de guerra, muitas [...]

Amazon vai vender protetor facial

Comprar itens de proteção durante a pandemia global provocada pelo novo coronavírus levou inúmeros comerciantes a alavancar seus preços [...]

Ingram é nova distribuidora Warner Bros Games no Brasil

Distribuidora de franquias de marcas como Sony PlayStation e Microsoft Xbox, a Ingram Micro Brasil anuncia que será responsável também pelos jogos da Warner Bros Games (WB Games) no País. “Com o acordo, reforçamos nossa presença nos canais gaming, oferecendo séries como Fifa, Just Dance, Lego, Need for Speed, Resident Evil e Star Wars, entre […]

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.