Giro

Irã treina ataque com protótipo falso de porta-aviões dos EUA

Crédito: KHAMENEI.IR/AFP

O guia supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, em 30 de junho de 2020 (Crédito: KHAMENEI.IR/AFP)

As forças armadas iranianas destruíram, nesta terça-feira, o modelo de um porta-aviões americano, durante exercícios nas águas do Golfo que os Estados Unidos chamaram de “irresponsáveis e perigosos”.

Os exercícios, chamados de “Profeta Maomé 14”, foram realizados perto do Estreito de Ormuz, uma passagem particularmente importante para os petroleiros.

Este é um comportamento “irresponsável e perigoso”, reagiu a porta-voz da Quinta Frota dos EUA, Rebecca Rebarich.

Dois caças americanos se aproximam de avião comercial iraniano

Presidente adverte que mais 35 milhões de iranianos poderão ser infectados por coronavírus

Apesar disso, esses exercícios “não interromperam as operações de coalizão na região” e “não tiveram impacto sobre a livre circulação do comércio no Estreito de Ormuz e nas águas circundantes”, acrescentou.

As manobras iranianas ocorrem em um contexto de tensão entre Washington e Teerã após a retirada unilateral dos Estados Unidos do acordo internacional sobre o programa nuclear iraniano em 2018 e o restabelecimento de sanções contra a República Islâmica.

Segundo imagens transmitidas pela televisão estatal, as forças aéreas e terrestres iranianas se prepararam para um ataque ao longo da costa, localizada no sudoeste do país.

Lanchas dispararam e lançaram foguetes contra o porta-aviões falso. Mais tarde, mísseis terra-mar o atacaram e destruíram.

– “Totalmente ofensivo” –

O modelo de um porta-aviões da classe Nimitz apareceu então com fileiras de caças falsos nos dois lados da pista de pouso.

A televisão estatal cortou a sequência para mostrar foguetes sendo lançados ao mar pela parte de trás dos caminhões, além de danos ao casco do porta-aviões falso.

Outro míssil lançado de um helicóptero deixou um rastro de fumaça antes de colidir contra a lateral do alvo.

Mais tarde, as forças armadas foram vistas descendo no convés do navio, cercado por lanchas rápidas.

“Equipamentos e armas desconhecidos foram usados, como mísseis de longo alcance capazes de atingir remotamente alvos flutuantes ofensivos”, disse o general Abas Niflorushan, citado pelo site Sepahnews dos Guardiões da Revolução.

Esses exercícios foram realizados menos de uma semana após o último episódio de tensões entre o Irã e os Estados Unidos, quando dois caças americanos se aproximaram de um avião comercial da empresa Mahan Air no momento em que sobrevoava a Síria.

Alguns passageiros ficaram feridos, depois que o piloto teve que reduzir rapidamente a altitude para evitar uma colisão.

No ano passado, os dois países pareciam estar à beira do conflito: em junho de 2019, depois que o Irã destruiu um avião dos EUA no Golfo, e em janeiro, quando Washington matou Qassem Soleimani, o poderoso general dos Guardiões do Revolução, em um ataque de drone perto do aeroporto de Bagdá no Iraque.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago