Giro

Irã supera oficialmente 60.000 mortes por covid-19

Irã supera oficialmente 60.000 mortes por covid-19

(Arquivo) Iraquianos de máscara em mercado de rua na capital Teerã - AFP/Arquivos

O Irã, país mais afetado do Oriente Médio pela pandemia de coronavírus, superou neste domingo a marca de 60.000 mortes provocadas pela pandemia de coronavírus, anunciou o ministério da Saúde.

“Lamentavelmente, nas últimas 24 horas, 93 pessoas faleceram por causa da covid-19 e o total de mortes por esta doença chegou a 60.073”, disse a porta-voz do ministério da Saúde, Sima Sadat Lari.

O Irã registrou um total de 1.631.169 casos desde o início da doença de acordo com os dados do ministério.

Vários altos funcionários do governo iraniano, incluindo o residente Hassan Rohani, advertiram nas últimas semanas contra uma “quarta onda” de covid-19, após o aumento do número de casos em certas regiões do país.

“Identificamos 112 pessoas afetadas pela variante britânica do coronavírus no país, incluindo oito que faleceram”, afirmou na sexta-feira Alireza Raïssi, vice-ministra da Saúde.

A República Islâmica registrava oficialmente menos de 7.000 contaminações diárias desde o final de dezembro, mas este nível foi superado novamente no início de fevereiro.

O número de mortes por dia permanece abaixo de 100. o menor nível desde junho.

A campanha de imunização no país começou em 9 de fevereiro com a vacina russa Sputnik V.

O Irã também anunciou o início dos testes clínicos de sua própria vacina em dezembro.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel