Economia

Investigação antitruste contra Facebook se amplia nos EUA

Investigação antitruste contra Facebook se amplia nos EUA

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook - AFP/Arquivos

A maioria dos estados dos Estados Unidos se integrou à investigação que tenta determinar se o Facebook violou as leis antitruste, disse a procuradora-geral de Nova York, Letitia James.

A investigação, liderada por Nova York, agora é apoiada por 45 estados, além da capital – o Distrito de Columbia – e o território americano de Guam.

“Nossa investigação agora conta com o apoio de 47 procuradores-gerais de todo o país, todos preocupados com o Facebook colocar em risco os dados do consumidor, reduzir a qualidade das opções do consumidor e aumentar o preço dos anúncios publicitário”, disse James em um comunicado.

“Usaremos todas as ferramentas de investigação à nossa disposição para determinar se as ações do Facebook sufocaram a concorrência e colocaram os usuários em risco”.

A rede social líder tornou-se um alvo recorrente dos legisladores para questões que vão desde privacidade e publicidade até o plano do Facebook de lançar uma criptomoeda, a Libra, através dos esforços da empresa para minimizar a manipulação de conteúdo para fins políticos e eliminar publicações discriminatórias ou de apologia à violência ou ao racismo.