Agronegócio

INTL FCStone: alta de preço do açúcar deve ser limitada com ampla oferta global

São Paulo, 17 – A alta das cotações futuras do açúcar no mercado internacional deve ser limitada na safra 2018/19, em virtude da perspectiva de ampla oferta global do produto, disse nesta quarta-feira, 17, o analista de Inteligência de Mercado da INTL FCStone, João Paulo Botelho. “Para a safra 2018/19, há uma perspectiva de superávit global de 4,4 milhões de toneladas de açúcar, depois de um excedente de 10 milhões de toneladas ao fim de 2017/18. O mercado está sobreofertado no mundo”, informou Botelho em evento da consultoria realizado em São Paulo.

Um dos países que deve ampliar a produção nesta temporada será a Índia, de acordo com o analista. Há expectativa de que a área plantada com cana-de-açúcar no país asiático seja 8% maior do que na safra passada e que a produtividade também cresça.

Dentre os fatores de estímulo estão dois novos subsídios anunciados pelo governo indiano para o setor, um para o transporte de açúcar para exportação e outro para compra de cana por usinas. Juntos, estes subsídios devem representar US$ 153 por tonelada de açúcar para até 5 milhões de toneladas do adoçante.

“Com isso, devemos ver de 3 milhões a 6 milhões de toneladas, provavelmente uns 5 milhões de toneladas de açúcar indiano ofertados no mercado internacional”, explicou Botelho.

A Tailândia também vem oferecendo subsídios à cadeia de produção do açúcar, o que deve levar a um aumento das exportações na temporada 2018/19 para cerca de 11 milhões de toneladas, ante 10 milhões de toneladas em 2017/18.