Negócios

Internet 5G no fim do túnel

Crédito: Claudio Gatti

A batalha das empresas de telecom não se restringe às tradicionais Vivo, Claro, TIM e Oi. A operadora virtual Surf Telecom, que atualmente utiliza a infraestrutura da TIM para 2G, 3G e 4G, quer se emancipar investindo em sua própria rede.

A estratégia prevê instalação de antenas em favelas de grandes cidades, como as oito que já funcionam em Paraisópolis, a maior da capital paulista, para ofertar banda larga 5G para os moradores dessas comunidades. “Esse modelo de operação é independente e terá recursos próprios”, afirmou Alexandre Pieroni, cofundador e COO (chefe de operações) da Surf. “Até 2030, vamos investir R$ 120 milhões em instalação de antenas em mais de 300 localidades.”

A iniciativa é o pilar do plano de expansão dos negócios da empresa, que faturou R$ 230 milhões em 2020 e tem 2 milhões de linhas ativas. “No Brasil, todo mundo adora odiar operadora de celular. Viemos para mudar isso.”

(Nota publicada na edição 1223 da Revista Dinheiro)