Giro

Inteligência britânica busca proteger projetos de vacina contra o coronavírus

Inteligência britânica busca proteger projetos de vacina contra o coronavírus

A vaccine under development by Oxford University and Astrazeneca will be manufactured in Argentina - AFP/Arquivos

Os serviços secretos britânicos estão trabalhando ativamente para proteger os novos projetos de vacina contra o coronavírus das interferências estrangeiras, afirmou nesta quarta-feira (14) o novo chefe do MI5, Ken McCallum.

“Está claro que ser o primeiro a desenvolver uma vacina viável contra este vírus mortal resultará em uma enorme recompensa mundial”, afirmou o chefe da inteligência interna britânica em coletiva de imprensa.

“Prevemos, portanto, que um número de organizações se interessem por essas pesquisas”, acrescentou.

Cientistas da Universidade de Oxford e da gigante farmacêutica britânica AstraZeneca estão desenvolvendo um projeto de vacina considerado um dos mais avançados do mundo, que já está sendo testado em dezenas de milhares de voluntários em todo o mundo.

McCallum alertou que agentes estrangeiros poderiam querer roubar a propriedade intelectual associada a essa pesquisa ou “manipular” os dados para questionar a eficácia dos estudos.

“Para o MI5, como para todo o mundo, o ano 2020 está dominado pela pandemia”, destacou este homem de 40 anos escocês, que em maio tornou-se o diretor mais jovem da agência.

A pandemia também mudou o modo de abordar o risco de atentados, explicou, afirmando que os terroristas buscam novos alvos devido às restrições de saúde que esvaziaram os locais normalmente muito movimentados.

Além do terrorismo, os principais desafios para a inteligência britânica incluem as ameaças de Estados como Rússia e China, destacou.

“Se a pergunta é qual é o país cujos serviços de inteligência estão causando mais problemas ao Reino Unido em outubro de 2020, a resposta é Rússia”, afirmou McCallum, que antes de sua nomeação liderou a investigação sobre o envenenamento em 2018 com Novichok do ex-espião russo Serguéi Skripal, na cidade inglesa de Salisbury.

Mas “se a pergunta for qual Estado moldará nosso mundo na próxima década, apresentando grandes oportunidades e desafios para o Reino Unido, a resposta é China”, acrescentou.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago