Economia

Insatisfeitos, fundos Petros e Previ pedem assembleia na BRF

Os fundos de pensão Petros e Previ enviaram neste sábado, 24, uma carta à BRF, dona das marcas Sadia e Perdigão, pedindo a realização de um assembleia geral extraordinária, apurou a Agência Estado com fontes ligadas aos fundos e à empresa.

Insatisfeitos com os resultados da companhia de alimentos, os dois fundos decidiram se unir para tentar forçar mudanças no conselho de administração da empresa, incluindo a saída de Abilio Diniz da presidência do colegiado.

Previ, o fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, e Petros, dos empregados da Petrobras, são os principais acionistas da BRF, com cerca de 11% cada um.

O plano em estudo é angariar apoio para a destituição do colegiado, colocando em votação uma nova chapa. O atual conselho foi eleito em abril do ano passado, com mandato até agosto de 2019.

Há meses os fundos questionam os internamente os rumos da BRF. A divulgação na quinta-feira, 22, do prejuízo de R$ 1,1 bilhão registrado em 2017 acirrou os ânimos – a BRF vem de prejuízo de R$ 377 milhões em 2016.

Procurados, os fundos Petros e Previ não comentaram. BRF e o empresário Abilio Diniz não retornaram.