Ciência

Infecções iniciais por Ômicron não devem proteger contra atuais variantes

Crédito: REUTERS/Caroline Chia

Pessoas usam máscaras de proteção facial em meio à onda da Ômicron em Cingapura (Crédito: REUTERS/Caroline Chia)



Por Nancy Lapid

NOVA YORK (Reuters) – Pessoas infectadas com a primeira versão da variante Ômicron do coronavírus, inicialmente identificada na África do Sul em novembro, podem estar vulneráveis a serem reinfectadas com versões posteriores da Ômicron, mesmo vacinadas e tendo recebido doses de reforços, segundo uma nova pesquisa.

Pacientes vacinados com infecções da Ômicron BA.1 desenvolveram anticorpos que podem neutralizar aquele vírus e o vírus original SARS-CoV-2, mas as sublinhagens da Ômicron circulando neste momento têm mutações que permitem que elas escapem desses anticorpos, disseram pesquisadores da China nesta sexta-feira na revista Nature.

A Ômicron BA.2.12.1, que atualmente causa a maioria das infecções nos Estados Unidos, e as Ômicron BA.5 e BA.4, que agora representam mais de 21% dos novos casos nos EUA, contêm mutações que não estão presentes nas versões BA.1 e BA.2 da Ômicron.




Brasil registra 76 mortes e 30 mil novos casos de covid em 24 horas

Essas sublinhagens mais novas “escapam dos anticorpos neutralizantes induzidos pela infecção por SARS-CoV-2 e pela vacinação”, descobriram os pesquisares com experimentos em tubo de ensaio.

Remédios com anticorpos monoclonais, como o bebtelovimab da Eli Lilly e o cilgavimab, componente do Evusheld da AstraZeneca, ainda podem efetivamente neutralizar as variantes BA.2.12.1 e BA.4/BA.5, segundo os experimentos.


Mas as vacinas de reforço baseadas no vírus BA.1, como as que estão em desenvolvimento pela Pfizer/BioNTech e Moderna, “podem não alcançar a proteção de amplo espectro contra novas variantes da Ômicron”, alertaram os pesquisadores.

(Reportagem de Nancy Lapid)

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI5G0X2-BASEIMAGE






Tópicos

8.700 mortes por covid-19 na semana passada ações prefeitura doenças respiratórias África do Sul alta casos Covid anticorpos anticorpos neutralizantes aumento casos covid China aumento casos pandemia aumento casos variante Ômicron aumento SRAGs aumento variante Ômicron autoridades tentam conter surto PEquim autoridades tentam conter surto Pequim Covid autoridades tentam conter surto PEquim Covid-19 autoteste covid-19 bebtelovimab da Eli Lilly Beijing 2022 capital chinesa capital chinesa casos covid capital chinesa covid Carlos Magno Fortaleza Carlos Magno Fortaleza infectologista e epidemiologista da Unesp casos coronavírus alta em São Paulo casos coronavírus alta em SP casos covid casos covid alta em São Paulo casos covid alta em SP casos covid China casos covid crescem SP junho casos covid Heaven Supermarket Bar casos Covid Pequim casos covid volta subir no mundo casos covid voltam a crescer no mundo casos covid-19 alta em São Paulo casos covid-19 alta em SP cilgavimab compra vacinas governo compra vacinas Pfizer contrato compra vacinas Pfizer pelo governo contrato compra vacinas Pfizer governo federal coronavírus coronavírus síndromes respiratórias graves CORONAVÍRUS/SP/PREFEITURA/LEITOS/ABERTURA covid Covid alta nos casos covid aumenta são paulo junho covid casos mundo junho 2022 covid maior parte SRAGs covid mais casos São Paulo covid mais casos SP covid ressurge 2022 covid São Paulo covid São Paulo junho 2022 Covid síndromes respiratórias covid SP covid total mortos BRasil Covid-19 Covid-19 covid-19 China covid-19 mais casos São Paulo covid-19 mais casos SP crescimento casos covid crescimento mortes por covid DIARREIA doenças doenças respiratórias dor de cabeça dores de garganta doses de reforços economia chinesa impacto inflação brasil ensão e dores musculares estado de emergência por causa da pandemia estado de emergência saúde pública estado de emergência saúde pública coronavírus estado de emergência saúde pública decretado pandemia estado de emergência saúde pública pandemia Estado tem sido capaz de ofertar vacinas à população em geral Evusheld da AstraZeneca febre febre tosse cansaço fim do estado de emergência em saúde pública fim escassez de vacinas no Brasil governo medida não trará prejuízos ao Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação governo vacinação atingiu doses suficientes para contemplar 100% dos grupos prioritários infecção por SARS-CoV-2 infecções infecções nos Estados Unidos irritação ou vermelhidão ocular irritações na pele ou descoloração dos dedos das mãos ou dos pés leitos leitos hospitais municipais leitos hospitais públicos mais casos covid-19 mais casos por causa variante Ômicron média de mortos brasil 2022 medidas combater pandemia do coronavírus Ministério da Saúde contrato Pfizer Ministério da Saúde contrato Pfizer compra 100 milhões doses Ministério da Saúde contrato Pfizer compra 100 milhões doses Covid Ministério da Saúde contrato Pfizer compra doses Ministério da Saúde contrato Pfizer compra vacinas Ministério da Saúde contrato Pfizer compra vaicinas Ministério da Saúde contrato Pfizer vacinas Ministério da Saúde mantém contrato com a Pfizer Ministério da Saúde mantém contrato Pfizer compra 100 milhões doses Ministério da Saúde mantém contrato Pfizer compra adicional 50 milhões doses Ministério da Saúde mantém contrato Pfizer compra vacinas MODERNA mortes MP iniciativa privada comprar vacinas diretamente fabricantes MP permite iniciativa privada comprar vacinas contra covid-19 diretamente com fabricantes MP permite iniciativa privada comprar vacinas diretamente fabricantes Mundo mutações novas transmissões covid novas variantes da Ômicron novo surto covid novos casos coronavírus novos casos covid novos casos covid-19 novos casos covid-19 São Paulo novos casos covid-19 SP novos casos nos EUA número de internações está aumentando número é subnotificado diz diretor-geral OMS ocupação dos leitos omicron Ômicron BA.1 ômicron BA.2.12.1 Ômicron BA.5 e BA.4 OMS Pacientes vacinados pandemia pandemia coronavirus pandemia de covid-19 pandemia de covid-19 no Brasil pandemia do coronavírus pesquisadores pesquisadores da China Pessoas infectadas com a primeira versão da variante Ômicron Pfizer Pfizer-BioNTech picos significativos de infecção Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação positivo para Covid-19 público Remédios com anticorpos monoclonais São Paulo novos casos covid-19 SARS-CoV-2 saúde Secretaria-geral da Presidência segurança síndromes respiratórias síndromes respiratórias agudas síndromes respiratórias agudas graves síndromes respiratórias graves sintomas covid febre sintomas covid febre tosse cansaço perda de paladar ou olfato sintomas covid perda de paladar ou olfatopaladar ou olfato sintomas covid-19 cansaço sintomas covid-19 febre sintomas covid-19 febre tosse sintomas covid-19 perda de paladar ou olfato sintomas covid-19 tosse sintomas ômicron SP novos casos covid-19 SRAGs sublinhagens sublinhagens da Ômicron Sudeste Asiático superação escassez de vacinas no Brasil surto china covid 2022 taxa de ocupação dos leitos teste pcr teste PT-PCR testes obrigatórios e milhares sob lockdowns direcionados China tosse transmissão covid tubo de ensaio Vacina BioNTech vacina coronavac vacina covid plano de saúde vacina johnson & johnson vacina MP libera rede privada vacina oxford vacina Pfizer vacina Sputnik V vacinação atingiu doses suficientes para contemplar 100% dos grupos prioritários vacinação atingiu doses suficientes para contemplar 100% dos grupos prioritários diz governo vacinação covid hospitais privados vacinação farmácias vacinação nacional vacinação rede privada vacinadas vacinados infectados imunidade vacinas de reforço vacinnação infantil variante variante delta variante delta países variante delta volta variante gama Variante gama é perigosa? Variante Gamma variante omicron variante omicron ba 2 variante omicron é mais letal variante Ômicron provoca novos casos variantes variantes BA.2.12.1 versões BA.1 e BA.2 da Ômicron versões posteriores da Ômicron vírus vírus BA.1 vírus original SARS-CoV-2 Xangai centro comercial China Xangai cidade mais populosa China Xangai cidade mais populosa e centro comercial Xangai população