Giro

Índia aumenta para 127 balanço de mortes por chuvas torrenciais

Índia aumenta para 127 balanço de mortes por chuvas torrenciais

Equipes de emergência ajudam moradores bloqueados pelas inundações em Balinge, estado de Maharashtra, sudoeste da Índia - Indian National Defence Response Force (NDRF)/AFP

O número de mortes nas inundações e deslizamentos de terra provocados pelas chuvas de monção subiu para 127 neste domingo na Índia, uma tragédia que também deixou dezenas de desaparecidos.

A costa oeste do país foi afetada por chuvas torrenciais desde quinta-feira e, segundo o serviço meteorológico da Índia, mais tempestades são aguardadas para os próximos dias.

No estado de Maharasthra, 117 pessoas morreram, incluindo mais de 40 em um deslizamento de terra na quinta-feira na localidade de Taliye, ao sul de Mumbai.

Jayram Mahaske contou à AFP que “muitas pessoas foram arrastadas enquanto tentavam fugir” quando aconteceu o deslizamento de terra. Entre as vítimas estão alguns de seus parentes.



Em poucos minutos, dezenas de casas desabaram e apenas duas estruturas permaneceram de pé. A área também sofreu um corte de energia elétrica.

As equipes de emergência retiravam neste domingo a lama e os escombros em busca de 99 pessoas desaparecidas.

“Toda minha equipe está envolvida nas operações de resgate”, declarou à AFP o diretor da Força Nacional de Resposta às Catástrofes, Rajesh Yawale, que coordena a intervenção na localidade.

Muitos corpos foram arrastados e alguns foram encontrados presos entre as árvores, rio abaixo.

Dez pessoas morreram em outros deslizamentos de terra, também ao sul de Mumbai.

Em algumas áreas de Chiplun, o nível da água subiu na quinta-feira a quase seis metros após 24 horas de chuva ininterrupta, que inundou estradas e casas.

Oito pacientes de um hospital local para pacientes com covid-19 morreram depois que as inundações provocaram cortes de energia elétrica, necessária para os respiradores.

Na vizinha Goa, uma mulher se afogou, informou o governo local. O ministro chefe do estado), Pramod Sawant, classificou a tragédia como “as piores inundações desde 1982”.

Na região que engloba Maharashtra e Goa, os níveis das águas permanecem elevados devido à cheia dos rios.

Moradores aterrorizados subiram nos telhados de suas casas e aos andares mais elevados dos prédios para escapar das cheias.

Mais ao sul, no estado de Karnataka, o número de mortes subiu de três para nove durante a noite, com outros quatro desaparecidos, informaram as autoridades.

O fornecimento de energia foi cortado nos 11 distritos afetados e as autoridades anunciaram perdas de plantações.

As inundações, os deslizamentos de terra e desabamentos de edifícios mal construídos são frequentes durante a temporada de chuvas de monção na Índia.

Quatro pessoas morreram na sexta-feira quando um edifício desabou em um bairro pobre de Mumbai, informaram as autoridades. Na semana passada, 34 faleceram na queda de um muro e em um deslizamento de terra na mesma cidade.

Nos últimos anos, os fenômenos climáticos extremos aumentaram em consequência, segundo os cientistas, do aquecimento global que afeta esta região do mundo.

A mudança climática intensifica os fenômenos de monção na Índia, segundo um estudo divulgado pelo Instituto de Pesquisa sobre o Impacto Climático de Potsdam (PIK). O informe alerta para possíveis consequências na alimentação, agricultura e economia em um país que abriga 20% da população mundial.

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago