Finanças

Indefinição sobre Auxílio Brasil sustenta taxas futuras de juros em alta

Os riscos fiscais sustentam os juros futuros em alta pela segunda sessão seguida, apesar do dólar estar em queda ante o real e juro dos Treasuries também em baixa, com a T-Note de 10 anos nas mínimas mais cedo. O que mais pesa é a indefinição sobre o tamanho do Auxílio Brasil, que pode ficar ainda mais fora do teto de gastos, com R$ 200 e não R$ 100 livre do alcance da regra fiscal.



Às 9h22 desta quarta-feira, 20,, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2027 subia para máxima de 11,31%, de 11,19% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2025 avançava para 10,98%, de 10,89%, e o para janeiro de 2023 subia para 9,96%, de 9,85% no ajuste de terça-feira. O juro da T-Note de 10 anos caía para 1,623% e o dólar à vista caía 0,10%, a R$ 5,5882.


Veja também
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Motorista deixa carro Tesla no piloto automático e dorme em rodovia de SP
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Lago Superior: a melhor onda de água doce do mundo?



Tópicos

taxas de juros