Economia

Inadimplência recua 2,5% em 2017 até outubro e cede 4% em 12 meses

A quantidade de pessoas que deixou de honrar compromissos financeiros caiu 2,5% nos dez primeiros meses de 2017, de janeiro a outubro, em comparação com igual período do ano passado, apontam dados da Boa Vista SCPC. Já na avaliação dos 12 meses encerrados em outubro (novembro de 2016 a outubro de 2017), houve queda de 4,0% ante o registrado nos 12 meses anteriores.

O movimento é explicado pela maior prudência nos gastos entre as famílias, pressionadas pelas dificuldades impostas pela crise financeira nos últimos anos. “As adversidades ocorridas na economia ao longo dos últimos dois anos geraram grande cautela nas famílias, inibindo o consumo e, consequentemente, contribuindo para a diminuição do fluxo de inadimplência”, diz a Boa Vista em nota.

Para a entidade, diante do cenário de expansão gradual da economia e renda, com juros menores e inflação controlada, a expectativa é de “uma retomada sustentável da demanda de crédito, expandindo a renda disponível das famílias, fatores que deverão colaborar para a manutenção de um ritmo estável do estoque de inadimplência em 2017”.

Regiões

Na análise de 12 meses, apenas a Região Sul registrou crescimento da inadimplência, com alta de 0,2%. No Nordeste, a queda foi de 5,2%, enquanto no Sudeste foi registrado recuo de 4,8%. Na Região Norte, a inadimplência cedeu 4,2% e houve queda de 2,7% no Centro-Oeste.

Veja também

+ Bolsonaro posta foto com filha e rebate crítica: “Já tomou Caracu hoje?”

+ Faça em casa receita de pudim com milho e leite condensado

+ Ex-capa da Playboy é presa acusada de tráfico de drogas em rede de prostituição

+ Com bumbum à mostra, Ivy Moraes filosofa no Instagram

+ Saiba por que as farmacêuticas vêm testar vacinas no Brasil

+ Namorada de Marco Verratti exibe fotos sensuais

+ Lívia Andrade posa de fio dental

+ Auxílio emergencial: Caixa credita hoje parcela para nascidos em janeiro

+ Google permite ver animais em 3D com realidade aumentada

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?