In vino luxus

In vino luxus

A marca italiana Atomos chegou ao mercado no início deste ano rompendo paradigmas: lançou o primeiro vinho do mundo produzido com a técnica de desengace manual, que seleciona apenas as melhores uvas para vinificação.

O baixo rendimento retém um sabor excepcional e garante grandes resultados de maturação. Varietais tintos, de Montepulciano d’Abruzzo, e brancos, de Trebbiano, vêm dentro de bolsas de Alcantara, tecido de alta tecnologia, para proteger o vinho da exposição à luz. Motivo: as garrafas, de 1l, são feitas de vidro transparente, para que a qualidade do líquido seja avaliada antes da compra.

E elevando o vinho a um luxo inédito, nove garrafas de 1,5l foram produzidas com o logo em ouro 18k, apresentadas em uma bolsa de couro italiano. A partir de 250 euros.

(Nota publicada na edição 1201 da Revista Dinheiro)

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel


Sobre o autor

Luciana Lancellotti é editora de Estilo da DINHEIRO


Mais colunas e blogs


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.