Economia

Imprensa argentina destaca reação do setor produtivo com intervenção do governo

Crédito: Governo de Buenos Aires

Entidades do setor produtivo como a Confederação Rural Agrícola e a Sociedade Rural Argentina defendem a proposta que um esquema cooperativo passe a administrar a empresa (Crédito: Governo de Buenos Aires)

São Paulo, 22 – A imprensa argentina destacou neste domingo a inconformidade do setor produtivo e da população com a apropriação do grupo agrícola Vicentín pelo governo do presidente Alberto Fernández. Os jornais La Nación e Clarín trazem as fotos das carreatas e bandeiraços realizadas ontem em mais de 90 municípios do país que reuniram milhares de pessoas, especialmente ligadas ao setor produtivo – empresários e entidades contrários à medida.

Entidades do setor produtivo como a Confederação Rural Agrícola e a Sociedade Rural Argentina defendem a proposta que um esquema cooperativo passe a administrar a empresa. Eles defendem que a proposta seja votada pelo Parlamento argentino, segundo o Clarín. O presidente Alberto Fernández disse, em uma entrevista ao Clarín, que se há uma alternativa para a estatização da empresa, ele está disposto a escutá-la.

+ Argentina alcança os 1.000 mortos por coronavírus
+ Argentina espera protestos contra intervenção do governo em empresa privada 

Ao La Nación, representantes de entidades dizem que Fernández está confundindo poder Executivo com Judiciário ao querer se apropriar da empresa privada. Eles também pede uma maior abertura do governo ao diálogo com o agronegócio. O receio dos produtores é que a apropriação da empresa dê início a uma série de estatizações – assim como foi observado no governo de Cristina Kirchner.

Em 9 de junho, o governo argentino, por decreto, anunciou a intervenção na companhia Vicentín por 60 dias. Segundo a Casa Rosada, o objetivo é evitar a falência, mas o fato foi considerado como inconstitucional pela oposição. Fernández ainda pretende enviar projeto de lei para o Congresso visando declarar a exportadora como empresa de interesse nacional e estatizá-la em caráter definitivo. A intenção assustou líderes agrícolas da Argentina, que têm convocado protestos para evitar uma suposta escalada intervencionista no país.

Veja também

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?