Agronegócio

IEA: preço recebido pela agropecuária paulista sobe 2% em junho

São Paulo, 15 – O Índice de Preços Recebidos pela agropecuária paulista registrou alta de 2,00% em junho de 2019. Separado por grupos de produtos, o IqPR-V (grupo de produtos de origem vegetal) fechou positivo em 3,00%, enquanto o IqPR-A (produtos de origem animal) caiu 0,22%. O levantamento é dos pesquisadores Danton Leonel de Camargo Bini e Eder Pinatti, do Instituto de Economia Agrícola (IEA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo.

Quando a cana-de-açúcar (que teve alta de 3,50% no fechamento de junho) é excluída do cálculo do índice na ponderação dos produtos, a alta do IqPR (alcança um valor porcentual menor, de 0,78%. Já o IqPR-V sem cana também tem alta, mas menos acentuada: de 2,07%.

Dos produtos que compõem o IqPR, destacaram-se as altas da carne suína (16,01%), da batata (14,28%), da soja (8,60%) e do café (6,60%). “Para a carne suína, a expansão da demanda chinesa provocada por epidemia no rebanho do país asiático desequilibrou o mercado interno brasileiro, o que reduziu a oferta doméstica e reajustou seus preços, que comparado com junho de 2018 estão 45,37% maiores”, explicam os pesquisadores no documento.

Dos produtos que reduziram seus preços em junho, tiveram maior variação: banana nanica (15,05%), laranja para mesa (11,57%) e laranja para indústria (7,13%). “Para a banana nanica, mesmo com a redução da oferta causada por perdas ocasionadas pelas chuvas no Vale do Ribeira, a redução no consumo característica desse período próximo ao inverno puxou para baixo os preços recebidos pelos produtores”, informa o IEA.

Do conjunto analisado, 12 produtos apresentaram alta de preços (9 de origem vegetal e 3 de animal) em junho e 7 tiveram queda (5 de origem vegetal e 2 de animal).

No período acumulado de 12 meses (julho/2018 a junho/2019), todos os índices apresentaram suas maiores altas no mês de fevereiro/2019. Influenciados pelas perdas causadas pelo alto nível pluviométrico na segunda quinzena de fevereiro, produtos como tomate de mesa e batata elevaram o índice geral para o maior nível dos últimos anos.

No acumulado dos últimos 12 meses, todos os índices apresentaram variações positivas: o IqPR ficou em 15,00%, o IqPR-V com 16,38% e o IqPR-A com 11,66%.