Finanças

Ibovespa sobe 1,30% e volta aos 104 mil pontos com sinal positivo do exterior

Ibovespa sobe 1,30% e volta aos 104 mil pontos com sinal positivo do exterior

O Índice Bovespa teve nesta quinta-feira sua terceira alta consecutiva, mais uma vez determinada pela melhora no apetite por risco no mercado internacional, e fechou em alta de 1,30%, aos 104.115,23 pontos. Esse é o maior patamar desde 24 de julho (104.119 pontos), que leva o índice a contabilizar ganho de 2,26% no acumulado de agosto. A valorização é sustentada essencialmente pelo investidor doméstico, já que o estrangeiro continua a reduzir sua participação no mercado acionário brasileiro.

O cenário doméstico também contribuiu para dar força ao movimento comprador, mas com efeito bastante limitado, segundo analistas. A votação em segundo turno da reforma da Previdência na Câmara foi bem recebida pela velocidade e por ter preservado R$ 933 bilhões de economia em dez anos, não muito distante do R$ 1,1 trilhão proposto pelo ministro Paulo Guedes. A expectativa agora é que a tramitação no Senado se dê sem sobressaltos. O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) estimou em 60 dias o prazo para que a reforma seja concluída na Casa.

“A reforma da Previdência passou bem na segunda fase da Câmara e não deve ter problema no Senado, sendo considerada um ponto já vencido. Mas o mercado já precificou essa etapa, restando agora conviver com essa interminável volatilidade do mercado internacional”, disse Mário Roberto Mariante, chefe de análise da Planner.

Mariante afirma que a tensão comercial entre Estados Unidos e China, que se estende desde o final de 2017, parece mais acirrada agora e não dá indícios de estar próxima de um desfecho no curto e no médio prazo. Com isso, afirma, há risco de prejuízos diversos ao Brasil, passando dos efeitos na economia aos reflexos nas ações de empresas de peso na bolsa, como a Vale.

O sinal de alta do Ibovespa foi definido logo na abertura dos negócios, com o mercado brasileiro alinhado à melhora de humor no cenário mundial. A inesperada alta de 3,3% das exportações chinesas em julho impulsionou a recuperação das commodities metálicas. O minério de ferro interrompeu uma sequência de quedas que perdurou por seis sessões e fechou em alta de 0,87% no porto chinês de Qingdao. Assim, Vale ON seguiu as altas de suas pares no mercado internacional e terminou o dia com ganho de 1,51%.

O petróleo também ganhou fôlego nesta quinta-feira, em meio a especulações sobre novo corte de produção dos países da Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) e à informação de que a Arábia Saudita estaria tomando medidas para controlar os preços e deter uma queda acentuada da commodity. Com os preços da commodity em recuperação significativa nas bolsas de Nova York e Londres, as ações da Petrobras avançaram 2,38% (ON) e 2,93% (PN).

Tópicos

Bovespa